sexta-feira, 3 de setembro de 2010

4 - 4 = 0

Sou do tempo em que "dávamos" 16-1 aos cipriotas. Sou do tempo de José Torres, que ontem partiu. Mas também sou do tempo desta seleção. Que raio de tempo este! 

5 comentários:

Santiago Macias disse...

Isto não está, de facto, grande coisa. Mas o "dávamos" é uma referência a uma célebre goleada do seu Sporting. Para que se veja como as coisas mudam: Chipre nunca tinha conseguido nenhum golo em território português e sofreu, até ontem, quinze. Nem o célebre Kaiafas nos marcou um golo.
Melhores dias virão.

Anónimo disse...

Pois é. Estamos a ficar velhos.

Helena Sacadura Cabral disse...

Andamos à espera de melhores dias em tudo, Estamos como o Brecht à espera de Godot...

Santiago Macias disse...

Beckett,não Brecht.
Mas nesta altura dava-nos muito mais jeito um Messi. Ou um Villa.

Anónimo disse...

é o chamado tri - muitos tempos...

tempos de

muita coisa, gente, enquadramentos

unos,
"nós" que acreditámos,
sonhámos como JTorres,
um país novo, better...

abraço