sábado, junho 24, 2023

A luta dos chefes

Putin e a hierarquia militar russa estão do mesmo lado, em face da revolta do grupo Wagner. Isso protege Putin, em absoluto, de um golpe vindo do topo das forças armadas. Mas não, necessariamente, de uma revolta no seio dos militares, que levasse à queda de Shoigu e Gerasimov.

5 comentários:

7ze disse...

O que a hierarquia faça ou não, já pouco pode afectar Prigozhin. O único obstáculo sério que o deve preocupar neste momento, parece-me serem os tchetchenos.

Unknown disse...

Quem é que nos garante que um protagonista que encabece uma revolta que leve à queda de Shoigu e Gerasimov não possa atingir também Putin? Se tiver força para isso também pode ter força para derrubar Putin. E vontade. Não terá de ficar necessariamente do lado de Putin para fazer frente ao grupo Wagner.

J Carvalho disse...

Parece que acabou. Deve ser uma frustração para o sr Borrell que já tinha agendada uma reunião do G7 para acompanhar a coisa.

manuel campos disse...


"A guerra é um massacre entre gente que não se conhece para proveito de pessoas que se conhecem mas não se massacram."

(atribuído a Paul Valéry)

Joaquim de Freitas disse...


7ze disse...
"O que a hierarquia faça ou não, já pouco pode afectar Prigozhin."

Desculpe mas o Senhor Embaixador disse e disse bem sobre Putin. Nao se trata de Prigozhin. Putin tem as rédeas firmemente nas suas maos.

É claro?

Um comentador no meu blogue diz que não posso usar "denegrimento", pelo facto desse vocábulo associar uma imagem negativa à palavr...