sexta-feira, 19 de março de 2021

Montarroio


A Sampaio Bruno foi, por muitos anos, uma rua marcante na Baixa do Porto. Começa num entroncamento atravessado por uma das ruas mais nobres da urbe, a Sá da Bandeira, para o qual convergiam duas artérias que já foram muito estimáveis referências gastronómicas: a rua do Bonjardim e a Travessa dos Congregados. Começando no banco que foi Pinto de Magalhães e na Casa da Sorte, termina numa bela tabacaria, com basta imprensa internacional, tendo à frente o café Embaixador.

Hoje, por ali, numa cidade fechada e triste pela pandemia, deparou-se-me esta imagem. 

A casa que se vê do lado direito foi, a certa altura, um ponto de modernidade no Porto. Era ali o Montarroio, um dos primeiros locais a servirem café de máquina, com as famosas “La Cimbali”, que ficaram no nome do “cimbalino”. Nesse tempo, há mais de meio século, o snack-bar (a própria expressão traduzia novidade) Montarroio tinha uma zona de comércio e bebida de cafés ao nível da rua e, numa cave a que se acedia por uma escada muito estreita, tinha um balcão onde se serviam refeições leves. Era um local simpático e chegou a ser bastante “in”.

Nos dias de hoje, é o que se vê. E, infelizmente, vê-se bastante disto por esta zona do centro do Porto. Melhores dias virão!

Sem comentários: