sábado, 6 de março de 2021

“Janela Global”


A convite de Márcia Rodrigues e de Vítor Gonçalves, tive o gosto de ir a uma edição do Janela Global, um excelente programa sobre atualidade internacional da RTP. Adota um modelo diferente do “Observare”, que, semanalmente, ajudo a fazer na TVI 24.

Fazem falta mais programas como estes, dedicados à análise serena e informada da vida internacional, em todas as nossas televisões. E é fácil isso acontecer: há hoje um conjunto de excelentes, na sua maioria jovens, especialistas destes temas, gente muito qualificada e com grande equilíbrio opinativo, que pode ajudar muito à literacia sobre temáticas externas. Eu diria mesmo que, no campo da ideias, esta é talvez a área hoje melhor servida no campo informativo.

Ontem, no “Janela Global” falei com Vitor Gonçalves da visita do papa ao Iraque, do processo judicial que condenou Sarkozy e do “regresso” de Trump.

Pode ver o programa aqui.

1 comentário:

Joaquim de Freitas disse...

Os Franceses votaram nele, maciçamente, em Maio 2007 para a Presidência da Republica. Que os mesmos que o atraiçoaram no momento oportuno desejem o seu regresso é possível.
Essa máfia não mudou…
O candidato Sarkozy venceu a batalha eleitoral, reunindo sob a sua bandeira os votantes tradicionais da direita, mas não só, porque graças a um discurso xenófobo e racista copiado do programa de Le Pen, a extrema direita trouxe-lhe os votos dos 10 a 15% de Franceses que vêm nos estrangeiros e nos antigos colonizados, Árabes e Negros, os inimigos a combater.
Estes ainda estão por aqui, mas Le Pen, guardou e angariou mais adeptos.

Como se estigmatizar a imigração não fosse um erro fundamental: se a República já não é capaz de integrar, é que os seus fundamentos e as suas estruturas já não estão adaptados aos desafios do mundo contemporâneo, do qual, a imigração é um dos principais, mas não o único.

No plano exterior, o panorama é ainda mais trágico para a França.
Comunicador total, puro produto do “star system”, sem complexos, Sarkozy utiliza todos os meios à sua disposição para estar sempre na luz da ribalta: As sua mulheres, as suas amantes, os seus filhos, os artistas do “show bizz”, os comediantes, (mesmo os mais vulgares e indecentes que leva consigo na visita ao Papa), os desportivos, os sequestrados, os reféns, a direita, a esquerda, o centro, os pobres, os ricos, mas, sobretudo, os crédulos. Todo esse mundo é presente.

Pelo menos é assim que muitos Franceses hoje começam a ver de novo a aventura sarkozista, e mesmo muitos dos seus amigos, que já não olham para o chão quando se lhes fala dos excessos passados do presidente que eles elegeram.

OS FRANCESES TÊM UMA EXPRESSÃO, QUANDO ALGUÉM TEM CONTAS A PRESTAR À JUSTIÇA, NA QUAL AS CONTAS SE CHAMAM “CAÇAROLAS” ! SARKOZY TEM TANTAS, UMA VERDADEIRA BATERIA DE COZINHA, QUE ESTA SEMANA ACABOU POR APANHAR TRÊS ANOS DE PRISÃO, POR CONTA DUMA DAS CAÇAROLAS. OH SABEMOS QUE NÃO IRÁ PARA A PISÃO, PORQUE OS GRANDES, OS INFLUENTES, CRIARAM DESDE HÁ MUITO O COLCHÃO DE QUEDA FOFINHO PARA LHES EVITAR DE IR DORMIR COM OS DELINQUENTES DE DIREITO COMUM…
Outras “caçarolas” virão dentro em pouco perante os juízes…Mas o barulho das “caçarolas” é tal, que, como uma orquestra mal afinada, nem se ouve o que dizem…