terça-feira, 21 de setembro de 2021

O que dou

Há pouco, num encontro casual na Estufa Fria, dei um abraço, muito sincero, ao meu amigo Carlos Moedas, um homem de bem, que foi um excelente comissário europeu.

No domingo, nas eleições, vou dar o meu voto, também muito sincero e com todo o empenho cívico, ao meu amigo e correligionário (gosto imenso da palavra) Fernando Medina, que tem sido e vai continuar a ser um excelente presidente do município de Lisboa.

Cada um dá o que quer e a quem quiser.

11 comentários:

Jaime Santos disse...

Correligionário, Sr. Embaixador? Como dizem os Brasileiros, cadê o Camarada? Ou será que o seu 'Socialismo de Direita' (expressão utilizada por pessoas que gostam muito de definir os limites do que é ser-se de Esquerda) tornou o uso de tal expressão herético? Olhe que o Pedro Nuno Santos é capaz de não gostar de saber disso...

Francisco Seixas da Costa disse...

Jaime Santos. Eu exprimo-me como me apetece, sem atender aos gostos ou desgostos de quem quer que seja. E, em matéria de semiótica, fique a saber que, se acaso vou a um comício, ergo sempre o punho direito. Nunca ergui o punho esquerdo. Isso também é “socialismo de direita”?

soudocontra disse...

Carlos Moedas, um "homem de bem"....(?)que fez parte da Troika e que privatizou os CTT e pôs a sua mulher a presidir aos CTT???
Só o "fazer parte da Troika" seria motivo para nem nunca aparecer como candidato fosse a que fosse!!!
Mas enfim... as amizades são o que são, assim como o "homosapiens" é o que é!!!

Lúcio Ferro disse...

Nem um nem o outro. Medina foi um presidente sofrível, muitas vezes hipócrita e mentiroso (poderia dar exemplos, como esta sua brilhante ideia de "devolver Lisboa aos lisboetas", ao fim de não sei quantos anos a promover a expulsão dos mesmos, ou a sua paixão por ciclovias em prol do ambiente, enquanto tudo fazia para receber mais e mais navios de cruzeiro do mais poluente que há no estuário do Tejo). Já o Moedas, só me lembro dumas bocas muito mal alinhavadas sobre não sei o quê das agências de rating lavarem mais laranja. Alternativas?, o gajo do PCP parece simpático e preparado, mas nunca será presidente de porra nenhuma, nem do PCP. Portanto, branco.

Aldema M M disse...

Seu blog me encanta sempre! Obrigada
Aldema McKinney

Rui Pereira disse...

Não acha mesmo que Medina foi o pior que passou por Lisboa em muitos e longos anos? Acha mesmo que Lisboa está melhor? Não devemos viver na mesma cidade.

José disse...

O PSD cometeu um erro muito grande ao não perceber uma coisa muito simples: a "imagem" conta.

Um homem com a voz de Carlos Moedas nunca pode ser eleito, apenas nomeado.

joão pedro disse...


Desta vez convirjo com o Jaime Santos...Também eu considero o Sr. Embaixador um socialista de direita, comprovadamente !!! Claro, está no seu direito. E negá-lo, para quê ?

João Pedro

Unknown disse...

Sou duma aldeia e vou, de vez em quando, a Lisboa. De cada vez me deparo - e atrapalho - com alterações na circulação e com novas obras e arranjos de passeios, e corredores, e ciclovias, e espaços verdes, e floreiras, e alcatrões novos e sinais novos...
E dou por mim a pensar o que não se faria da minha aldeia e nas outras de alto a baixo do país, com os milhões que se gastam em arranjos e arranjinhos na nossa belíssima capital.
E nestes dias de campanha eleitoral vêm uns senhores a prometer que vão apostar no INTERIOR...
E cai em mim uma imensa tristeza...

Jaime Santos disse...

Sr. Embaixador, o termo 'Socialista de Direita' não é meu e não concordo com ele, até porque ele revela bem a pequenez de quem considera que tem a moral de definir as fronteiras entre a Esquerda e a Direita.

Basicamente, quem quer que se defina como Liberal e defenda a livre iniciativa só pode ser de Direita segundo essa espécie de puristas do estatismo... Sabemos bem o que o dito estatismo fez pelo bem-estar e pela liberdade das classes trabalhadoras...

Eu estava a brincar consigo. Pode naturalmente omitir o camarada e erguer o punho esquerdo ou o direito que o recurso a essa simbologia não diz muito sobre o seu posicionamento ideológico...

Jaime Santos disse...

E, João Pedro, espero que fique esclarecido que eu estava a ser sarcástico...