sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Acabou-se o papel


Não se assustem com o título deste texto!

Num dia de 2013, recebi um convite do diretor do “Diário Económico”, António Costa, para escrever uma coluna no seu jornal. Iniciei aí uma interessante atividade regular, a que decidi pôr termo, dois anos mais tarde, por razões pessoais. Já não me recordo se a minha coluna tinha algum nome.

“Transferi-me”, em 2016, para o “Jornal de Negócios”, acolhido pela então diretora, Helena Garrido, órgão onde me tenho mantido, até hoje, com a coluna a que dei o nome pouco original de “Duas ou Três Coisas”, dado ser essa a designação do blogue que escrevia desde 2009.

Entretanto, ainda em 2015, quando dirigia o “Jornal de Notícias”, Afonso Camões tinha-me proposto escrever também uma coluna semanal. Chamei-lhe “Uma Segunda Opinião”. Trezentos e tal artigos depois, já no início deste ano, essa coluna chegou ao fim, como tudo na vida.

Já mais recentemente, em 2018, o semanário “Jornal Económico”, através do seu diretor, Filipe Alves, convidou-me para passar a escrever aí uma coluna, a que chamei “Antes que me esqueça”. E por aí também fiquei, até hoje.

No dia de hoje, publiquei no “Jornal de Negócios” e no “Jornal Económico” dois artigos que tomei a decisão que iriam ser os últimos. 

Porquê esta paragem? José Gomes Ferreira (não, não é esse, é o poeta) dizia que “viver sempre também cansa”; eu acho que escrever sempre também me estava a cansar. A obrigação ritual de ter de preencher, em datas certas, uns milhares de carateres, começou a dar-me menos prazer do que a angústia das “deadlines” me estava a criar. 

Informei disso, hoje mesmo, os diretores dos dois jornais - Diana Ramos no “Negócios” e Filipe Alves no “Económico”. A ambos e às suas equipas, fico imensamente grato pelo acolhimento e, em particular, pela extrema simpatia e elevado profissionalismo com que, em ambas as “casas”, sempre fui tratado. 

Decidi assim fazer uma pausa na escrita, em termos regulares, em papel. Mas, como dizia o outro, “vou andar por aí”, escrevinhando de quando em vez, se me quiserem aturar.

Ah! E, claro, também vou ficando por estas plataformas luminosas em que agora me estão a ler, enquanto me apetecer.

2 comentários:

Flor disse...

Gostei de ler, especialmente o último parágrafo. É com prazer que leio os seus textos. Obrigada. :)

maitemachado59 disse...



Amen to that

maitemachado59