sábado, 6 de fevereiro de 2021

Ainda a vacina

Ter ou não ter vacina a tempo pode ser uma questão de vida ou de morte. Mas é precisamente nas questões essenciais, mesmo nas de vida ou de morte, que se mede o estofo ético das pessoas. Quem não espera pelo momento que lhe compete na vacinação é, além de um cobarde, um canalha.

2 comentários:

A.B. disse...

Muito prosaicamente também é um ladrão. Apropriação ilegítima é roubo.
Dependendo mesmo da lei, poderia ser caso para uma das variantes de homicídio.
Seja como for, é desmotivante. Atirar uma beata ao chão dá direito (justamente) a uma coima. Roubar uma vacina que pode potencialmente salvar uma vida não tem punição?

Pedro Sousa Ribeiro disse...

Há, infelizmente, muita gente na politica e/ou em posições de direção com muito pouca ética e sentido de serviço público. Lamentável.