quarta-feira, 3 de fevereiro de 2021

SEF

A acreditar no resumo das declarações dos agentes do SEF, sobre a morte do cidadão ucraniano, fica a dúvida sobre se, afinal, esses polícias não terão sido vítimas inocentes de uma feroz agressão, em que o verdadeiro culpado do incidente, no final, se mata a si próprio, com o único objetivo de deixar gente pacífica em maus lençóis e com a sua reputação beliscada. É que há quem tenha visto porcos a voar.

3 comentários:

aguerreiro disse...

Este assunto é muito complexo e eventualmente muito mal tratado. Na minha opinoão e não passa disso. o ucraniano foi detido e provavelmente bem. fez no entretanto e largas horas depois as ditas "convulsões". Qu motivaram a ida a um hospital, onde foi (mal)visto, eventualmente descartaram a "epilepsia" e deviam tê-lo "chumbado" com tranquilizantes. Regressou aos calabouços do SEF.
Com estas carambolas todas ninguém viu ou procurou o óbvio, que seria o de equacionar a eventual dependência alcoólica. muito comum nos habitantes das estepes europeias (que ninguém presumo procurou esclarecer com os colegas e o médico que o seguiria na Ucrânia que se saiba).Só um aparte, quando os Estaleiros de Viana construiu e reparou uns barcos para a então URSS os tripulantes destes esgotavam literalmente o álcool das farmácias na cidade, assunto por demais conhecido nesta terra.
Depois de dois dias de privação, ás vezes nem é preciso tanto, estourou o chamado síndrome de privação alcoólica, com o quadro de agitação e violência que nenhum segurança ou agente di SEF consegue controlar.
Se lhe tivessem dado depois ou três bagaços ou similares nada disto tinha acontecido-. e o Er+ario tinha poupado pra riba dum milhão de euros.

Jaime Santos disse...

Porcos e vacas, senhor embaixador :) ...

Entretanto há quem se entretenha não a fazer piadas com a versão dos acusados (esperemos que o tribunal esclareça a verdade dos factos), mas com a tragédia de uma família que perdeu o seu Pai, chamando-lhe bêbado.

Se esta gente recorresse ao remédio que preconiza e de que aliás deve fazer uso amiúde, ao menos calavam-se todos...

josé ricardo disse...

parece que não foram porcos, mas sim vacas...