sábado, 6 de fevereiro de 2021

O “ministro”


É uma vergonha para a União Europeia colocar-se na posição do seu “ministro dos Negócios Estrangeiros” ter de ouvir isto. E calar-se.

Não se vai a Moscovo mandar ”bitaites” (embora cheios de razão) sobre política interna russa sem ter capacidade de reagir com ações concretas.

7 comentários:

Lúcio Ferro disse...

Ao pé de Lavrov, um diplomata com imensa experiência e inteligentíssimo, os da UE são autênticos meninos de coro. E não aprendem. Julgam que a Rússia é o que, uma Venezuela qualquer, perdida algures na América do Sul? Parvos, ainda acabam todos a meter a viola no saco, a comprar-lhes o gás que vem pelo pipeline do Báltico e de brinde a Sputnik V para compensar a falta de visão no processo de aquisição de vacinas "ocidentais".

Unknown disse...

Nenhum ministro dos Negócios Estrangeiros tem nada que ir a qualquer outro país perorar sobre a política interna desse país.

albertino ferreira disse...

É caso para dizer que o Borrell borrou a escrita; e não se pode remodelar!?

Joaquim de Freitas disse...

Peço desculpa, coloquei este texto no sitio errado.



"enviar "bitaites" (embora cheios de razão)".???

Quando Putin veio passar uma tarde com Macron na residência de verão do pequeno monarca, na Côte d'Azur, Macron atreveu-se a "enviar bitaites" pela mesma razão, a Putin.

Recebeu imediatamente a resposta, porque a França não é um país democrático a toda a prova quando arranca os olhos de Coletes Amarelos manifestantes em Paris , e condena a prisão de um ano 1000 manifestantes e 4570 por algumas horas.
O "tratamento" da polícia francesa aplicado aos manifestantes em Paris, é mais "musculado" do que o que vi na televisão , em Moscovo.

Porque não devemos esquecer os 11 mortos e 850 feridos das manifestaçoes dos Coletes Amarelos desde o início

E que os diplomatas da UE manifestem nas ruas de Moscovo, com Navalny, que vigarizou uma empresa francesa, e instituiçoes russas, que diriam as chancelerias ocidentais se os russos viessem manifestar em Berlim, Londres, Paris e algures?

Pena é que os mesmos diplomatas e outros, não manifestem nas mesmas cidades por Julian Assange, o criador de Wikileacks, que continua na prisao... ! Isso não ousam eles, porque o "mestre" de Washington não ficaria contente.

Ainda bem que os cientistas da UE acabam de demonstrar a sua independência, ao declarar a vacina Sputnik "Boa para a Humanidade". Os politicos, esses, contorcionam-se nas chancelerias...

Luís Lavoura disse...

Lúcio Ferro

"Ao pé de Lavrov, um diplomata com imensa experiência e inteligentíssimo, os da UE são autênticos meninos de coro."

100% de acordo.

O Borrell bem poderia pedir a Lavrov que lhe desse umas aulas práticas de diplomacia e Negócios Estrangeiros. Um estagiozinho na Rússia só lhe faria bem.

Luís Lavoura disse...

Não há nada mais irritante do que esta mania que os países do "Ocidente" têm, de andar a dar lições (não solicitadas) aos outros países sobre a forma como eles se devem governar.

Carlos disse...

Infelizmente o serviço europeu de ação externa está longe de ser uma referência em termos de competência diplomática e discernimento político. Colonizado pela diplomacia dos estados membros é o espelho duma visão do mundo que parece ter parado no pós guerra. Em vez de funcionar como a extensão internacional do executivo europeu, parece muitas vezes empenhado numa competição espúria com a Comissão por visibilidade e protagonismo. Milhões de Eur são consumidos em actividades de cooperação e instrumentos de política externa sem real articulação com as prioridades políticas da Comissão Europeia e uma lógica clara de promoção dos interesses económicos e geopoliticos da UE. Está inépcia é ainda mais exasperante quando comparada com o profissionalismo da diplomacia dos grandes actores internacionais - EUA, Russia, Reino Unido só para citar alguns exemplos. Há seguramente muitas pessoas competentes e empenhadas todavia é difícil identificar nos já mais de 10 anos de actividade realizações dignas menção.