terça-feira, 9 de fevereiro de 2021

A mulher coragem


É uma mulher com algumas vidas, com muitos livros, com imensos amigos, com uma coragem acima do mundo. À minha amiga Leonor Xavier, a existência tem pregado partidas, sustos e, às vezes, jogado com ela às escondidas. A Leonor, com aquela voz rouca e doce que, à primeira vista, poderia transportar um discurso naïf, é alguém que descobriu que as dificuldades se agarram de caras, que os problemas se resolvem combatendo em terreno aberto. É uma cabeça arejada, positiva, que olha as pessoas de frente, guiada por uma ética à prova de bala, com valores que caldeou ao longo dos anos. Quando saímos do seu convívio, das conversas sempre interessantes que com ela temos, fica-nos uma admiração imensa pela sua força e determinação. Posso dizer uma coisa muito sincera, sem correr o risco de se julgar que estou a fazer um ’número’?: saio sempre melhor do que me sentia, depois de falar com a Leonor, nem que seja apenas pelo telefone. Mas, claro, tenho saudades dos almoços lentos no Ribatejo, das ocasiões em que ela sabe juntar a gente certa, para horas divertidas, coisa que a pandemia interrompeu. Lembrarei para sempre aquele seu aniversário louco, com baile, na Barraca! E a poesia na igreja do Rato. E o debate sobre o Brasil no El Corte Ingles. E as histórias com Sérgio Godinho e Nélida Piñon no CCB. E também me fazem falta as noites na Dois, no Procópio, com a Leonor a dar a deixa para as gargalhadas da Alice. Em outros tempos, também com o Raul por lá, depois os tempos passaram a ser com alegres saudades dele. A Leonor faz sempre da vida uma festa - e, para nossa sorte, convida-nos para ela!

A Leonor publicou agora, renovada, uma carta que acho que devia ser lida por muita gente. Quando há tanto défice de esperança, há por aí gente, como a Leonor, que tem um admirável superávite de coragem. Como podem ler aqui.

5 comentários:

Luís Quartin Graça disse...

Uma das minhas mais queridas "tias do coração", que me conhece desde que nasci e é parte da minha família alargada, de escolha, tal como os seus filhos Leonor, Maria e Gonçalo.

Luís Quartin Graça

Luís Lavoura disse...

O linque parece estar mal.

Francisco Seixas da Costa disse...

Um comentador procurou colocar aqui um texto sobre outro assunto. É uma regra deste blogue não permitir que ele seja utilizado para temas diversos dos que estão na origem dos posts que escrevi.

Joaquim de Freitas disse...

Que exemplo de coragem e que mensagem exemplar para todos aqueles que sofrem .

Ana Claudia Marques disse...

Gratidão pela partilha! Namastê 🙏🏽!