sábado, 6 de novembro de 2010

Sucesso português

Ontem, numa conversa a propósito da nomeação de António Horta Osório para a chefia do Lloyds Bank, depois do sucesso que teve no Santander britânico, alguém me dizia: "Não percebo por que é que, só pelo facto de alguém ser português, temos necessariamente de ficar contentes com a subida desse alguém na cena internacional".

Eu não conheço pessoalmente Horta Osório mas, devo confessar, sinto sempre uma grande satisfação quando o adjetivo "português" se liga ao nome de alguém com sucesso, à escala mundial. Portugal é um país conhecido pela sua história (somos um dos países mais antigos do mundo), mas não somos reconhecidos pelos outros como um país "produtor" de vencedores. E o prestígio subliminar de um país no imaginário coletivo constrói-se também, para além de muitos outros fatores, pela visibilidade positiva das personalidades que dele emergem. Seja Horta Osório, seja Oliveira, seja Saramago, seja Siza Vieira, seja Mourinho...

8 comentários:

Cunha Ribeiro disse...

Estive em suspense....até o nome dele surgir.

Refiro-me a MOURINHO, inegavelmente um PORTUGUÈS acima da média. E que nascido em Quinhentos seria o VASCO DA GAMA...

Julia Macias-Valet disse...

Um dia num jantar em Paris um dos meus padrinhos (francês) de casamento, que frequentava nessa altura o MBA da INSEAD, deixou-me orgulhosissima quando informou que os alunos mais trabalhadores e com melhores resultados naquela escola eram os do nucleo português.

Por isso percebo plenamente este seu
contentamento.

Outro Antonio, Borges de seu apelido foi reitor da INSEAD entre 1993 e 2000 e fez uma carreira notável na área da economia a nível internacional, provando que há em Portugal um extraordinário talento.

Também nao conheço pessoalmente Antonio Horta Osorio mas desejo-lhe "bon vent" : )

papoila disse...

Eu também fico feliz e orgulhosa quando um português se evidencia no estrangeiro.

Helena Sacadura Cabral disse...

Julia, o António Borges foi agora apanhado pelo FMI onde se ocupará também de nós.
Infelizmente, aqui em Portugal foi maltratado...
Também eu fico orgulhosa de ver o nome do meu país ser indirectamente enaltecido pelo trabalho de alguém que aqui nasceu e cresceu.

Anónimo disse...

Claro que sim.
Isabel Seixas

José Martins disse...

Senhor Embaixador,
Ninguém é profeta na sua terra...!!!
.
E os portugueses são profetas fora do seu país.
.
Tantos foram que embarcaram de Portugal, com um saco de roupa e um garrafão de cinco litros de vinho nos veleiros, com poucas letras dentro de si e produziram lá fora grandes obras e desenvolveram nações.
.
Esse material,lusitano, precioso, está nas sete partidas do mundo.
.
Também e melhor que eu o sabe o senhor embaixador Seixas da Costa, dado que é um caminhante no mundo e conhece obras, deixadas pelo portugueses no Brasil e em França.
.
Neste país onde está acreditado, e bem, homens lusos fundaram empresas, cujo estes chegaram, alguns a salto e vestidos de calças de cotim, talvez algumas remendadas.
.
Bem me lembro que na década de setenta numa viagem de avião de Portugal para a Arábia Saudita, sentado ao lado de mim, seguia um português emigrado em França e pela janela aponta o dedo para o solo e diz-me: “é ali que vivem os portugueses.” Pareceu-me um campo de sucata de carros velhos.
.
Os portugueses são emigrantes por natureza e vocação sendo os primeiros que se movimentam do Ocidente para o Oriente, a partir de 1498 e de quando Vasco da Gama descobriu o Caminho Marítimo para a Índia.
.
O bom material, humano, partiu e os velhos do restelo ficaram com o pessimismo e dúvidas que se mantêm até hoje e nos governam.
Saudações do Rio Kwai – Tailândia
José Martins

Rubi disse...

Concordo, acho que faz bem a Portugal. No entanto, aquela necessidade de dizer que X ou Y é neto ou bisneto dum português acho um tanto ou quanto triste. Mais ou menos como chamar Dr. a tudo o que é licenciado, revelador da nossa extrema baixa auto-estima!

LP disse...

Infelizmente, nem indirectamente, não é Portugal que eu vejo enaltecido é, aquele português que nasceu em Portugal; onde é que ele foi formado em Portugal?, onde é que ele fez carreira em Portugal?, Quem foram os "Hunter hads" que lhe proporcionaram o seu sucesso em Portugal? e, houve sucesso em Portugal?

Sucesso de Portugal considero-me eu e uns quantos portugueses de Portugal, que foram um dia fazer vindimas a França e, gostaram tanto do nosso trabalho e criatividade que houve um francês corajoso que observou: "Vocês moram mesmo em Portugal e não andam aqui só para ganhar dinheiro? Se todos trabalhassem assim em Portugal, o vosso vinho era economicamente o melhor do mundo!"

Eu frequentei sempre escolas portuguesas, públicas e, acima de tudo, os meus progenitores ensinaram-me que nunca esperasse ser reconhecido sem contrapartidas.

Quanto aos Drs., não podia estar mais de acordo com Rubi. A vizinha Espanha dá-nos lições nesta postura. Também aqui, infelizmente, vivemos à custa de "mise en place"

Desculpem esta crispação mas, sinto-me como um filho cujo pai está sempre a mandar pela cara o sucesso dos filhos dos outros.