domingo, 28 de novembro de 2010

Porto

As Éditions Autrement há muito que nos habituaram a olhares diferentes sobre realidades comuns, que julgamos conhecer bem, mas sobre as quais, com surpresa, acabamos por vir a aprender coisas novas e perspetivas inesperadas.

Há semanas, tinham-me falado deste "Porto, poètes et bâtisseurs", um trabalho muito cuidado de Édouard Pons, com belas fotografias de Antonin Pons Braley. O autor é um antigo diretor da Agence France-Presse e já havia sido responsável pela obra "Lisbonne, terre de rencontres".

Este livro sobre o Porto, integrado numa coleção sobre cidades do mundo, é uma viagem feita através da voz de várias e, algumas inesperadas, figuras que nos ajudam - mesmo a nós, portugueses - a entender melhor o que há de particular numa cidade que, talvez melhor que qualquer outra em Portugal, destila um orgulho na sua intimidade, ao mesmo tempo aristocrática e regional, com tudo o que isso tem, simultaneamente, de notável e limitativo.

O Porto contemporâneo é uma realidade complexa, que - desculpem lá! - combina frequentemente algumas frustrações de afirmação nacional com dimensões de uma riqueza única no espaço português. Às vezes, o Porto aparece provinciano, no simplismo de um discurso através do qual auto-limita as suas fronteiras. Outras vezes, se se for mais ao seu fundo, a "capital do norte" dá-nos lições de modernidade e de inesperado cosmopolitismo. Talvez por isso, há imensa gente em Portugal que acha o Porto uma cidade e uma sociedade "estranha". De certo modo, não deixam de ter razão, mas eu entendo que isso é um involuntário elogio.

É este retrato múltiplo que este livro surpreendente nos traz. Por ele passam testemunhos de renomadas figuras da cultura, misturadas com pessoas simples, mas representativas, do dia-a-dia portuese. Não está lá tudo, mas está lá muito e, melhor!, está o suficiente para o que é importante: seduzir um leitor francês a interessar-se por essa realidade metropolitana ímpar que, em Portugal, é o Porto. Pena é que muitos portugueses teimem em não conhecer o Porto.

16 comentários:

Margarida disse...

Parece simples?
Mas ando há uma vida para traduzir o que sinto, o que vejo, o que (isto) é.
Dir-se-á que todas as cidades têm as suas idiossincrasias, especificidades, originalidades e outros etc., e é assim mesmo; mas a 'nossa' é sempre especial...
O Porto É a minha.
E este texto, sumptuoso na sua reflexão em perfeita sinopse.
Pelo que este domingo gelado amornou.
Obrigada.
:)

patricio branco disse...

Quase todas as cidades têm caracteristicas próprias que as tornam interessantes: Porto, Evora; Faro, Hamburgo, Bordeus, Madrid, Nápoles, Roma, Funchal, Budapeste, Hobart, Sevilha, Glasgow e Lisboa.
Não sei quantas cidades há no mundo com a dimensão e as caracteristicas do Porto. Mil?
Claro, há Venezas e há Almadas (digo-o sem hesitações, pois Veneza é incomparavelmente mais bonita que Almada).
O Porto é uma bonita cidade e merece um livro, sem duvida.
Resta-me perguntar: alguma vez visitarei Georgetown, Longwood e o tumulo de Napoleão? E Christchurch?

Mônica disse...

Fui em Portugal mas não seu tempo de irmos em Porto
com carinho MOnica

Rodrigo Rocha disse...

Francisco passei para conhecer seu blog ele é not°10, show, espetacular, muito maneiro com excelente conteúdo você fez um ótimo trabalho desejo muito sucesso em sua caminhada e objetivo no seu Hiper blog e que DEUS ilumine seus caminhos e da sua família
Um grande abraço e sucesso

cunha ribeiro disse...

O Porto é espirituoso como o vinho que tem o seu nome; é um ancião respeitável e com enorme carácter; é civilizado por dentro, e levemente provinviano quando está distraído.

Correia de Araújo disse...

Caro Embaixador

Diria perfeita a sua análise!
Acrescentaria, porém, que pena é, também, que muitos dos nossos responsáveis políticos (passado, presente e, seguramente, futuro) teimem em não (re)conhecer o Porto.

Correia de Araújo disse...

Em tempo

Já agora, caro Embaixador, o nosso "Porto" já merecia uma referência na lateral direita (e isto, garanto-lhe, não é política), na coluna «...os nossos "Temas" (em construção)».

Helena Oneto disse...

O Porto é uma cidade muito peculiar e cheia de contrastes onde o antigo e o moderno se casam muito bem. Tudo o que vi achei lindo e as pessoas são encantadoras!

Anónimo disse...

1ºBornes Pedras Chaves Vila real
2º Porto Braga Coimbra Lisboa.
3º And so on...(Tenho que ir trabalhar)

Só um Livro!?

Só a Margarida é uma enciclopédia...
E Misteriosa... Primeiro que cheguemos lá...

Isabel Seixas

Cunha Ribeiro disse...

Por favor, Caríssima Isabel Seixas,

Coloque também no podium PARADA DE AGUIAR, e Vila Pouca.

Obrigado

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Correis de Araújo: Já está!

Correia de Araújo disse...

Já reparei... e, como seria de esperar, o "nosso" Embaixador sempre atento e atenciosíssimo.
Obrigado... e bem-haja!

Anónimo disse...

Caro Cunha Ribeiro

Obviamente que está implícito no Concelho e no Distrito...

Mas está bem...Sem favor é um gosto
Agora...
Chaves, Bornes de Aguiar/Pedras Salgadas,PARADA e Vila Pouca DE AGUIAR, Vila Real.

Isabel Seixas

Anónimo disse...

Sou lisboeta, e embora não visite o Porto com a frequência que gostaria, considero que é uma cidade muito bonita e harmoniosa e... os portuenses mais afáveis que os lisboetas.

IBP

Anónimo disse...

Senhor Embaixdor: queira aceitar um obrigado dum tripeiro

Cunha Ribeiro disse...

O meu muito obrigado estimadíssima Isabel Seixas, por ter atendido a minha reivindicação.