sábado, 19 de maio de 2018

Datas e nomes


Há pouco, numa estante na minha casa em Vila Real, descobri, alinhados, lado a lado, os quatro livros que publiquei. 

Por curiosidade, fui ver as datas das introduções que para eles escrevi : 25 de abril, 31 de janeiro, 1° de dezembro e 5 de outubro.  Com toda a franqueza, não me recordo de ter planeado estas datas, mas a verdade é que elas correspondem àquelas que me são mais caras.

Tratando-se embora de livros de natureza política, ligados às relações internacionais, os “clássicos” de quem faço uma citação, a abrir cada uma dessas mesmas notas iniciais, podem não ser muito comuns, mas também não corresponderam a nada de deliberado: Sérgio Godinho, Jorge Palma, Fausto (Bordalo Dias) e dom Luiz da Cunha (o primeiro “MNE” português).

4 comentários:

Anónimo disse...

Ver um embaixador de Portugal congratular-se com um regicidio e' no minimo nojento.

Francisco Seixas da Costa disse...

Não sabia que o regicídio tinha tido lugar numa daquelas datas. Mas deu-me uma ideia para o próximo livro...

Anónimo disse...

Ontem os seus amigos Orban e Costa era so beijinhos... não entendi muito bem o porquê de tanta proximidade...

Para o "homonimo" anonimo, uma hipotese

o 5 de outubro que o embaixador se referia era o de 1143...

outra hipotese

referiu as datas como caras, isto é de grande custo

é preciso saber interpretar, meu caro, saber interpretar!

Anónimo disse...

Estou a ver que já se esqueceu do seu artigo que publicou há uns anos sobre o 31 de Janeiro. Viver é recordar.