quarta-feira, 23 de maio de 2018

Honestidade

Acho, com toda a franqueza, que a questão da notificação atrasada do primeiro-ministro ao Tribunal Constitucional, por uma pequena aquisição imobiliária, é um “fait-divers” burocrático, de quase nula importância.

Já o “lapso” do ministro Siza Vieira é talvez um pouco mais grave, mas, ainda assim, é também uma “technicality” formal.

Dito isto, o PS e o governo - que, note-se, apoio e defendo - deveriam coibir-se de atacar a oposição por estar a explorar politicamente estes casos. 

Porquê? Porque ninguém tem a mais leve dúvida de que, fosse a atual oposição governo e estivesse o PS a lutar pelo poder, o PS estaria a fazer uma enorme “barulheira” política sobre o assunto. Com o PCP e o BE por arrasto.

Sejamos honestos, pois...

3 comentários:

Anónimo disse...

O problema não é a "pequena aquisição imobiliária" a questão está na descrição do "negócio" com a "velhinha despejada" que se terá compadecido do coitado do comprador que precisava da casa para a filha. É verdade? Se for, aldrabar velhinhas com pouca leitura não é bonito!
João Vieira

Anónimo disse...

Uma lógica interessante, senhor Embaixador. Portanto, não contestem, não se defendam, mesmo que tenham razão, porque se lá estivessem faziam de certeza a mesma coisa. Fico perplexo com essa lógica....

Anónimo disse...

Não enganou velhinha, coisa nenhuma!. A casita, estava numa Agência imobiliária. O comprador, fez negócio com a dita agência. Ao contrário do que fora dito, terem havido propostas superiores. Houve sim, propostas inferiores. O palácio tem 40 m/2.