terça-feira, 22 de maio de 2018

Do Porto? (2)

A propósito da referência que aqui fiz a Carvalho Araújo como “vila-realense”, alguém fez notar que ele nasceu no Porto.

É verdade. Os seu pais viviam em Vila Real. De visita casual ao Porto, a mãe teve a criança, regressando depois à cidade onde residia e onde Carvalho Araújo foi educado.

Assim, o caráter “portuense” de Carvalho Araújo é em tudo idêntico à ligação que uma figura como Medeiros Ferreira tinha com o Funchal, onde nasceu, precisamente nas mesmas circunstâncias. E ninguém se lembra de chamar-lhe “madeirense”, não é?

5 comentários:

Mal por Mal disse...

Medeiros Ferreira, açoreano, e de que maneira!

Anónimo disse...

Podia ter-se lembrado de um caso muito melhor: Rui Veloso. Lisboeta de nascimento mas...

Anónimo disse...

Concordo, mas podia ter usado o exemplo do José Sócrates. Ou do Infante D. Henrique (que parolice ligar o homem à cidade).
Aos mais afoitos: nasci na freguesia da Sé no Porto e vivi na Invicta até aos 25 anos de idade.

Anónimo disse...

Mal por mal é açoriano que se escreve. Cabo-verdiano, etc. Sempre de i. E há décadas.

Anónimo disse...

O exemplo de Medeiros é melhor do que o de Veloso. É mais retintamente castiço ser ilhéu nascido noutra ilha do que ser continental do continente.

Dois clássicos: Camilo nascido em Lisboa e Eça nascido na Póvoa de Varzim.