quinta-feira, 5 de outubro de 2017

Viva a nossa República!

O povo saiu à rua, o rei não jantou e a República ficou para sempre.



14 comentários:

Anónimo disse...

Não dê ideias aos espanhois, sr. embaixador! Então no meio de tanta consternação, vexa, o diplomata, sai-se com uma dessas?!...

Anónimo disse...

Bela relíquia. Só tenho dificuldades com a omnisciência do 'para sempre'.

MJ

Anónimo disse...

A inauguração nesse dia do ágora chamado Vidago Palace também "ficou para a História".

JPGarcia

netus disse...

Recordação interessante, curiosa, pelo menos para mim que sou republicano.
Mas, devo acrescentar, não conhecendo muito mas algum "mundo", as décadas de vida que já levo deram-me a conhecer muitas ementas faustosas e republicanas deste calibre. Cumprimentos. António Cabral

Joaquim de Freitas disse...

Para SEMPRE ! Sim, é preciso repetir a palavra « SEMPRE » com convicção e ardor republicano. Porque ser “cidadão” não é a mesma coisa que ser “sujeito”.

Quanto aos espanhóis, após o discurso de guerra recente do rei, devem sentir algo de amargo quando pensam que a Republica não durou mais que alguns meses, com o custo humano de um milhão de mortos.

Anónimo disse...

E isto não foi inconstitucional?

A Monarquia portuguesa era um Estado de Direito, certo? Estamos, portanto, perante um evento histórico realizado contra o direito, a legalidade e a democracia.

Ou, neste caso já não?

Anónimo disse...

Esqueci-me de dizer que, por causa deste atentado ao Estado de Direito, estivemos a ponto de sermos invadidos pela "amiga" Espanha, tivemos arremessos de guerra civil e fomos "obrigados" a entrar numa Guerra Mundial. Quanto à Economia, não sei mas, calculo que nos tenha saído cara a brincadeira.

Anónimo disse...

O do para sempre é claramente um disparate e quanto ao menu faz-me lembrar os menus das embaixadas entre tantos jantares... que bem que se deve comer.

Anónimo disse...

Sim "saiu a sua num dia assim"

Republica sempre.
Saudades

F.Crabtree

Joaquim de Freitas disse...

Ao Anónimo das 17 :11 e 17 :13 : que escreve : « A Monarquia portuguesa era um Estado de Direito, certo? Estamos, portanto, perante um evento histórico realizado contra o direito, a legalidade e a democracia.””

Oh, Oh! …e a democracia.

Qual democracia em 1910?

A noção de democracia é um conceito relacionado com o Estado de direito, uma vez que supõe que o povo tem o poder e o exerce através das eleições ao eleger os seus representantes. Certo?

O Estado de direito, por sua vez, supõe que o poder surge do povo, o qual elege os seus representantes para o governo.
Certo?

Anónimo disse...

É curioso que esse menu é exactamente igual ao da inauguração do Palace de Vidago

http://vidagoimagens.blogspot.pt/2017/10/vidago-e-o-5-de-outubro-de-1910.html, pode ver no blogue Meu Vidago.

Não duvidando naturalmente que o Pai do Senhor Embaixador o tenha como autentico poderá ser uma copia ou falsificação feita na época. António Serôdio

Anónimo disse...

Ai que o Freitas colocou o pé na argola. Então, só há Estado de Direito com eleições universais? Acaba ele de reconhecer que os países controlados pelos comunas não são nem nunca foram Estados de Direito?

Joaquim de Freitas disse...

Grande inteligência, este « masoquista » de serviço , que assina “anónimo das 09:26 …

Estava quase certo que ele ia aparecer para me falar do seu amigo Trump, que, em Las Vegas , disse que o drama, ( a maior matança na historia dos EUA, depois do genocídio dos Índios,) foi um acto de “pura maldade”.Só …Não falou sobre a legislação referente às armas de fogo porque os seus dois filhos são sócios da NRA há anos. "Eles têm tantos fuzis e armas que às vezes até eu fico um pouco preocupado, disse ele.

E em Porto Rico, que os 16 mortos eram uma palha, comparados aos mortos do Katrina…E dito num ar de festa…

Mas o “masoquista” vem-nos falar de “Estado de Direito”, como se compreendesse o que isso significa.
Ah, escreve, “os países controlados pelos comunas não são nem nunca foram Estados de Direito”.
Ele ignora que se todo estado de direito não é necessariamente uma democracia, toda democracia deve ser um estado de direito. Infelizmente sabemos que não é sempre assim. E não somente nos “estados comunas”. O grande estado amigo e aliado dos seus amigos, a Arábia Saudita, é exactamente o quê, para si ?

A democracia fundada sobre o direito, opõe-se ao Estado autoritário, no qual as leis não são respeitadas.

Por exemplo : O goulag da URSS era anti democrático, como Guantanamo e Abhu Graib, mas estes são ainda piores porque a tortura é aplicada em territórios fora do perímetro do Estado de Direito americano, mas sob a lei americana.

Derrubar um governo legalmente eleito num país estrangeiro, como no Chile e na Ucrânia, e noutros países da América Latina, é a definição mesmo do totalitarismo e do imperialismo, indignos dum Estado de Direito.

Deter mais de dois milhões de cidadãos na prisão, taxa mais elevada no mundo, mais que a China e a Rússia reunidas, ou seja (os EUA) 25% dos prisioneiros do planeta para 5% da população mundial, demonstra que algo não condiz com o Estado de Direito que se apregoa, sobretudo quando se sabe que as minorias negras e latinos da população carceral são largamente sobre representadas. E que o maior número fica na prisão, porque a lei exige uma caução para sair, e que é preciso para pagar um advogado .Claro que sabemos quem são estes…que apodrecem na jaula ...

Este é o estado de direito que defende?

Anónimo disse...

Ó Freitas, o que eu defendo é a paciência de santo ao seu fanatismo!