quarta-feira, 25 de outubro de 2017

Diretores



O Raul Vaz, que agora deixa a direção do “Jornal de Negócios”, já havia sido “meu diretor” no “Diário Económico” onde, por sugestão da Gisa Martinho, comecei a escrever em 2013, a convite de António Costa, que desse jornal iria sair para, tempos mais tarde, fundar o informático ECO. 

Em 2015, ainda antes do fim do DE, “transferi-me” para o “Negócios”, acolhido pela Helena Garrido, a qual, no ano passado, iria ser substituída pelo Raul, o qual, por sua vez, depois de amanhã, deixará a direção do jornal. 

A quem não é do ramo, parece tudo muito confuso? É só porque não “sabe da missa a metade”, no mundo muito difícil que é hoje o dos jornais económicos. Uma crise que, a meu ver, nem sequer é inevitável nem muito difícil de explicar...

Um abraço e votos de boa sorte, Raul!

2 comentários:

Anónimo disse...

COnfuso em quê? São sempre tão os mesmos, que difícil é não adivinhar quem vem a seguir a RV e para onde vai RV a seguir. Sempre os mesmos a perder leitores, os mesmos a ter maus resultados comerciais, mas continuamente confiáveis dos donos dos jornais que os mantêm para fazer pressão e propaganda de más ideias e não para informar. Sempre os mesmos até no comentador - que sigo, leio e com quem simpatizo, mas que não é propriamente um abalador do status quo.

Anónimo disse...

Noto que qd comentei a 26 de outubro de 2017 às 09:43, talvez tenha sido pouco claro.

O comentador que sigo, leio e com quem simpatizo, mas que não é propriamente um abalador do status quo é Seixas da Costa. Alguns poderiam ficar tentados a achar que falava de Raul Vaz, um simples comissário partidário e de interesses económico-financeiros, como são aliás o grande grosso das direcções de jornais e estações televisivas.