quinta-feira, 29 de julho de 2021

“A Arte da Guerra”


Esta semana, a minha conversa com o jornalista António Freitas de Sousa, no “A Arte da Guerra”, no site do Jornal Económico, analisa os efeitos do escândalo do sistema de espionagem eletrónico Pegasus, os desafios que o governo de Mario Draghi enfrenta na Itália e o acordo entre os Estados Unidos e a Alemanha que permite a conclusão do gasoluto Nordstream 2.

Pode ver aqui.

1 comentário:

Joaquim de Freitas disse...

A hipocrisia das potências ocidentais não tem limites. Podemos imaginar a viragem que os acontecimentos teriam tomado na sequência das revelações do caso "Pegasus" se, em vez de Israel, fosse a Rússia que estava implicada. Mas não nos esqueçamos que os clientes da empresa NSO Group estão apenas a seguir o caminho traçado pelo "grande" deste mundo. Uma retrospetiva de um texto publicado em 2013 na sequência das revelações do ex-agente americano Edward Snowden, recordando-nos como a França e a União Europeia continuam vergonhosamente subservientes ao imperium norte-americano.

De que outra forma descrever uma simples convocação do embaixador dos EUA no Quai d'Orsay ou palavras de protesto mel, regurgitadas da mesa do Conselho Europeu, enquanto no Parlamento Europeu foi preciso paciência e diplomacia para obter uma pequena maioria para votar a favor de uma resolução que suspenda temporariamente um acordo para entregar aos Estados Unidos os dados bancários de todos os cidadãos europeus.

No mundo americano, apresentado como o farol do mundo livre, os serviços secretos implantam, com total impunidade, grandes ouvidos e olhos para monitorizar os telefones, penetrar nos computadores dos seus nacionais, como nos dos países ditos "amigáveis", instalar microfones nos locais oficiais de representação destes países ou da União Europeia na ONU em Nova Iorque. Fazem o que querem.