domingo, 17 de maio de 2009

Mourinho(s)

Há muito quem discuta o seu estilo pessoal, quem deteste a sua assumida arrogância, quem se irrite com a sua constante propensão para a provocação mediática. Mas se, no mundo futebol, são apenas os resultados que contam, José Mourinho é um vencedor. Agora foi na Itália, levando o Inter ao título.

Que tal aproveitar o ensejo para felicitar também o outro Mourinho, seu pai, antigo guarda-redes e treinador do Vitória de Setúbal, que mandava o filho observar as equipas adversárias, actividade em que este terá aperfeiçoado as suas qualidades de planificador táctico? Mas será alguém ainda se recorda ainda desse outro Mourinho? E será que isso tem alguma importância?

4 comentários:

Santiago Macias disse...

Há quem se recorde, sim. E claro que tem importância. Muita mesmo. Até pela notável carreira que Félix Mourinho fez no Rio Ave (1981/82), já lá vão quase trinta anos. O clube, vindo directamente da 2ª Divisão, ficou em 5º lugar no campeonato. Disse-me nessa altura o já falecido Carlos Pinhão: "Um treinador excepcional é isso mesmo! Ganhar campeonatos com os grandes não é nada de especial". Há coisas que um jovem estudante de História jamais esquece.

Fenêtre du Portugal disse...

"Mas será alguém ainda se recorda ainda desse outro Mourinho? E será que isso tem alguma importância?"

Quanto a mim nao o conheci; no momento nao estava mergulhado no futebol nacional.

Mas em si, importancia tem de certeza. Nem que seja do ponto de vista humano. Como seres humanos, todos temos importancia. O mais triste é talvez quando nao fica nada, nenhuma luz iluminando seja o que for, nenhum traço de vida, nenhuma pedra na estrada, nenhuma areia em nenhuma praia do mundo...

E pelo que diz, talvez tambem tenha importancia pelo facto de ter dado ao filho as bases solidas que lhe sao hoje uteis.

Construir a mais bela casa do mundo nao serve a nada se as bases nao forem solidas.

NB. Creio que a imagem de Portugal em muitos sentidos e aspectos, sempre foi vista com o defeito caracteristico de alguma aproximaçao. (E creio com razao).

é optimo e extremamente positivo que haja quem deseje, custe o que custar, tentar atinjir a excelencia. Com esforço, com inevitaveis erros, com criticas, com vitorias e derrotas, mas sempre seguindo o objectivo de se aproximar da perfeiçao.

Anónimo disse...

Não me recordo do outro Mourinho, talvez por seguir pouco o futebol, mas quanto ao actual, goste-se, ou não, o homem tem sucesso e isso deve-se à sua muita dedicação e determinação. É um caso de sucesso e respeitado nesse mundo que é o futebol. Portanto, “chapéu” ao homem!
P.Rufino

Margarida Pereira disse...

É relevantíssimo prestar-se homenagem a quem nos educou, guiou e protegeu. A quem serviu de exemplo.
Bonita esta menção. Porque o filho talvez não tivesse chegado tão longe (ou tão brilhantemente) sem a influência do pai.
Quanto ao treinador-sensação, merece as loas, claro.
Independentemente das suas características (e serão assim tão más? não estamos excessivamente habituados a 'low profiles'?) é um excelente profissional. e não parece ser pior ser humano (tem um cão, para mim já é meio caminho andado ;) Para o caso é o que importa.
Tivéssemos nós muitos 'special-ones'!...
(além de que é bem parecido, isso é sempre bom para a fama dos fidalgos lusos)