terça-feira, outubro 05, 2021

Uma pergunta polémica

O tema é polémico, mas há uma pergunta simples que não vejo formulada: a frequência do surgimento de casos de pedofilia na igreja, para além dos desvios doentios de personalidade, não terá alguma coisa a ver com a manutenção desse instituto anti-natural que é celibato forçado?

13 comentários:

Luís Lavoura disse...

Eu acho que um padre, mesmo que fosse casado, sê-lo-ia com um(a) adult@. Isso não satisfaria o eventual desejo desse padre por carninha tenra. Há muitos padres que, permanecendo celibatários, satisfazem o seu desejo sexual sem ser com crianças.

Flor disse...

Também. Se bem que uma coisa não desculpa a outra. Pergunto: mas porquê as criancinhas??
"...Que quem já é pecador
sofra tormentos, enfim!
Mas as crianças, Senhor,
porque lhes dais tanta dor?!...
Porque padecem assim?!...)

MON COEUR PLEURE
:'(

José disse...

E o facto de os abusos serem na sua quase totalidade (vá lá... 99%), de natureza homossexual, terá a ver com quê?

(outra pergunta "polémica", não é?)

Luís Lavoura disse...

José

o facto de os abusos serem na sua quase totalidade (vá lá... 99%), de natureza homossexual

Onde viu você esse "facto"?

Luís Lavoura disse...

José

o facto de os abusos serem na sua quase totalidade (vá lá... 99%), de natureza homossexual, terá a ver com quê?

Terá eventualmente a ver com a muito maior dificuldade que um homossexual tem em encontrar parceiro sexual. Sobretudo num meio rural.

Digamos que um padre heterossexual pode, sem demasiada dificuldade, levar (a bem ou a mal) uma das suas paroquianas para a cama. Já um padre homossexual, terá muito maior dificuldade com os paroquianos. Vira-se então para as crianças...

septuagenário disse...

Em portugal já poucos padres se vêem, mas quando havia muitos padres, as beatas tomavam conta deles, foi a salvação de muitas crianças, poucas queixas se ouvem.

Graças-a-deus!

Eduardo disse...

E diga me uma coisa: a pergunta é polémica porquê?

soudocontra disse...

Abaixo, fora com todas(todas) as Igrejas inventadas no planeta pelo sapiens, para sentirem poder sobre os seus irmãos de espécie.
A(s)Igreja(s)-TODAS, são das instituições mais criminosas criadas pelo sapiens, desde que este evoluiu biologicamente de outras espécies (Proconsul e Ramapithecus) suas antecessoras, durante cerca de 6 milhões de anos - e que andava "deus" a fazer?
E mais não digo, apenas repito que não há qualquer deus no planeta - utilizemos a inteligência que a natureza nos deu, pela evolução biológica, durante biliões de anos para nos respeitarmos e proteger-nos uns aos outros!!!

José disse...

Ó Lavoura, você é de bradar aos céus!

Um homossexual tem mais dificuldade em arranjar parceiros sexuais?!

Os homossexuais masculinos têm toda uma rede montada cujo único fim é promover os encontros sexuais. os bares "gay" servem, primariamente para o engate. Um homossexual que queira sexo, vai ao bar mais próximo e lá há de encontrar alguém, que raio!

A razão pela qual a SIDA "rebentou" na comunidade gay foi, precisamente, pela prevalência de relações sexuais fortuitas e frequentes. Olhe, ouça a letra da "Canção do engate", do Variações. Está lá tudo! (e ele pagou por isso...)

Quando um heterossexual entra num estabelecimento noturno, já tem muita sorte se metade da clientela for feminina. Um homossexual entra num bar gay e é tudo caça! Já agora, você que sabe tanto, nunca ouviu falar do "quarto escuro"? Nem das saunas? Nem do "glory hole"? Nem dos circuitos na floresta?

E quem é que lhe disse que os padres pedófilos vivem em meios rurais? Eh pá, mas você inventa coisas só para ser do contra???!!!

Unknown disse...

Como sobrevivente de abuso sexual em criança, por tudo que li, observei e estudei a pedofilia é desvio doentio de personalidade. Pais de família é o perfil de abusadores que conheço. Com conhecimento de causa em religiões sem celibato forçado como o budismo essa problemática também existe.
Isabel

disse...

o Sr. Embaixador decidiu abrir a caixa de pandora. Esta caixa de comentários está... um espetáculo. bonne continuation.

Jaime Santos disse...

Eu conheci em tempos uma psicóloga que estava a fazer o seu mestrado sobre questões de abuso sexual em Inglaterra, tendo sido ela própria vítima de abuso em criança por parte do Pai, e ela disse-me exatamente aquilo que a Isabel aqui reporta, ou seja, que em contexto familiar os abusadores são sobretudo os companheiros das mães das vítimas (sejam eles os progenitores ou não), ou seja, homens heterossexuais.

E as vítimas não são escolhidas pelo seu sexo e sim pela sua proximidade aos agressores, o que provavelmente explica porque há muitos mais rapazes abusados no seio da ICAR do que raparigas.

Não sei se é o celibato que leva à ICAR tantos homens com perfil de abusadores ou que se tornam porventura abusadores fruto do abuso que sofreram e do seu encobrimento, agora a verdade é que noutras denominações cristãs ou noutras religiões não observamos a epidemia de abusos que ameaça os próprios alicerces da Igreja de Roma.

A aceitação de homens (e mulheres, já agora) casados no sacerdócio provavelmente ajudaria a mudar a cultura que permite que tais abusos persistam, por isso nisto eu estou de acordo com o Sr. Embaixador.

Acho porém bastante divertida a discussão completamente surrealista que aqui teve lugar sobre bares de engate e outros locais de encontro dos quais eu nunca tinha ouvido falar... Parece que há quem esteja bastante bem informado e quem esteja bastante menos, eu incluído. Enfim, está-se sempre a aprender :) ...

Não têm mesmo mais nada para fazer?

José disse...

É verdade "Unknown". Os monges no Tibete eram conhecidos por terem os mais jovens como escravos sexuais. E, em muitas culturas, há cerimónias pedófilas (e, mais uma vez, homossexuais), como é o caso da Nova Guiné em que os jovens praticam sexo oral aos guerreiros mais velhos para lhes "beberem a coragem".

Mas... valia a pena alguém concentrar-se no facto de este assunto, enquanto fenómeno, estar maciçamente (não é "massivamente", como andam para aí a dizer as ovelhas tontas), ligado à igreja católica. Ora, o catolicismo é uma religião com uma forte componente estética e que tem como símbolo maior um homem que é apresentado nu. Um belo homem, de longos cabelos, olhos ternos, musculoso e... nu. E que é comido e bebido (dizem que literalmente) pelos fiéis em cada missa.

É inegável a sensualidade de muitas imagens do Cristo sofredor. Sensualidade essa que deve estar na origem de muitas "conversões".

Também vale a pena dizer que há uma certa associação do São Sebastião (mais uma vez alguém nu e com o corpo penetrado), à comunidade gay. Há até um filme muito interessante inteiramente falado em Latim e com uma temática abertamente "homo".

Depois, temos o "Menino Jesus", apresentado como uma criança roliça e... nua. E temos os "putos", os querubins, os anjos... que, com ou sem sexo, são belos e têm um ar tenro mas claramente masculino.

Os padres não se tornam pedófilos por não se poderem casar. Semelhante ideia é de uma gigantesca preguiça intelectual e ofensiva para qualquer homem solteiro. Eles - os padres -, são é homens pedófilos antes de se juntarem à igreja. E é aqui que vale a penar fazer estudos sérios!!!

A Nato, a Rússia e a Ucrânia

A tensão atual NATO-Rússia parte de duas realidades incontroversas e potencialmente conflituantes entre si. De um lado, está o tropismo ocid...