domingo, 23 de agosto de 2020

MNE - os dias quentes da Revolução

Com um sexto e último artigo, Bárbara Reis conclui, no “Público” de hoje, uma série de textos, recheados de testemunhos, sobre o tempo que se viveu no Palácio das Necessidades, em 1974 e 1975, da ditadura para a democracia. Vale a pena ler.

2 comentários:

Anónimo disse...

Não tenho saudades desses tempos conturbados de 1974 e 1975. É evidente que se ganhou liberdade de expressão em 74, mas também se perdeu muita coisa, desde logo, em 75. Teria preferido outra transição. Volvidos 45 anos, continuamos, infelizmente, mal governados, como outrora, com incompetência, impreparação e oportunismo. E, tal como na altura, continuamos, infelizmente, na cauda da Europa.

AV disse...

É uma muito boa série de artigos que nos oferece perspectivas interessantes sobre como a época da transição para a democracia foi vivida no mundo da diplomacia. Seria excelente que fosse continuada, acompanhando outras fases da nossa história recente.