sábado, 8 de agosto de 2020

Já chega!

Querer um Chega “moderado” é como querer um PCP “moderno” e “aberto”. O PCP ainda existe porque não é nada disso (ao contrário dos seus homólogos noutros países, que desapareceram por completo). Se o Chega se “moderasse”, não era o Chega e o seu líder regressava a Loures...

8 comentários:

Jaime Santos disse...

O PSD espera seguramente que o tempo redefina moderação, de modo a que o Chega se torne moderado. De momento é apenas um Partido onde medram uns quantos neo-patrimonialistas que se querem lambuzar no pote, uns reaccionários ressabiados com a perda do Império e mesmo uns quantos fascistas e neo-nazis.

Quando o Partido que quer mudar a CRP nos diz que Portugal não é racista, refere-se concretamente a quê? As nossas leis, estas, não são racistas, mas se uma percentagem de quarenta e tal por cento dos Portugueses ainda acredita numa diferença biológica entre as 'raças', conceito que a Ciência deitou há muito para o caixote do lixo da História, o que é para o Chega um País racista? Um onde mais de metade da população acredita em tal coisa?

Também há quem espere que o tempo redefina o conceito de moderno, para que o marxismo-leninismo do PCP volte a estar na moda. Julgo que podem esperar sentados... Já o preconceito em relação ao Outro será sempre 'moderno' enquanto existirem pessoas, lamentavelmente...

Anónimo disse...

Quer o senhor embaixador dizer que ele voltava a dar jeito ao PSD, para câmaras como a de Loures, onde podia dizer às escâncaras aquilo que apeteceria dizer a muitos PSD - contra o PCP, claro...

Anónimo disse...

Prepare-se para um desgosto. Moderado ou nao o Chega vai crescer e o regime vai sofrer. E isto não é um desejo sao dois mais dois.

josé ricardo disse...

Compreendo o seu apressado raciocínio, mas não se pode comparar o PCP ao Chega, pois ainda não sabemos muito bem com que linhas é que este partido se cose. O PCP é um partido com cimento ideológico arreigado durante décadas; o Chega é um partido que surgiu e uma cabecinha demasiado futebolística que um dia pediu boleia ao PSD para se mostrar. E é uma boa acrobacia: aparecer na social democracia e estar a roçar um neofascismo rococó televisivo.

Anónimo disse...


Se o Chega crescer muito, o que nos vale, Sr. Embaixador, é que os homens modernos e abertos, como o Sr. Embaixador, estarão na primeira linha a defender a democracia, pagando com a prisão e a vida, se necessário, por essa determinação. Então, pagarei para ver.

João Pedro

Corsil Mayombe disse...

C'os diabos.
O menino André incomoda muita gente!!!
Chiça!

Anónimo disse...

Na verdade, o menino André não incomoda muita gente, porque não passa de uma questão de crença.

O que verdadeiramente incomoda é compararmos a qualidade dos deputados constituintes com os actuais, sem falar de alguns líderes partidários.

Por outras palavras, a ascensão de certos nomes é directamente proporcional à queda da qualidade dos "outros nomes" de certas áreas políticas.

Anónimo disse...

Não se esqueçam que o Chega, nasceu no seio do PSD. Portanto, é natural o Rui Rio, querer chegar-se ao Chega. Parece que nos andamos a enganar. Mas também digo que a aliança, não irá dar bons frutos.