terça-feira, 18 de dezembro de 2018

Serralves


São muito boas as notícias que nos chegam de Serralves. Passada que foi a pequena crise que, com uma ajuda mediática que ficou bem identificada, pretendeu envolver a Fundação, esta renovou agora, com grande serenidade, o seu quadro dirigente e prepara-se para continuar o excelente trabalho que, desde há décadas, tem vindo a fazer.

Mas ainda vale a pena perguntar: quem quis prejudicar Serralves? Quem pareceu pretender criar uma instabilidade, artificial e secundária, numa das instituições culturais de maior prestígio do país? Será que alguém ainda se sente incomodado com a autonomia de Serralves?

O que se viu nos dias que se sucederam à polémica sobre a exposição de Mapplethorp configurou uma reação quase histérica e que, no fim de contas, levanta a legítima suspeita de que alguém terá querido cavalgar o incidente para abalar a instituição. Isso agora, felizmente, ficou enterrado de vez, talvez para desagrado de alguns egos e de outras sensibilidades mais delicadas.

Devo dizer que, de há muito, tenho um imenso apreço pelo trabalho da Fundação de Serralves, muito bem prosseguido neste período de gestão de Ana Pinho.

Serralves foi das boas coisas que aconteceram ao Porto. 

2 comentários:

Anónimo disse...

Não lhe retirando a razão, seria interessante explicar porque é que a forma de responder a uma crise imposta de fora é... renovar a administração.

Luís Lavoura disse...

das boas coisas que aconteceu

... aconteceram