terça-feira, 4 de dezembro de 2018

Paulo Sande


Leio que Paulo Sande vai ser o cabeça de lista às eleições para o Parlamento Europeu pelo “Aliança”, o nóvel agrupamento político criado por Santana Lopes.

Conheço Paulo Sande há bastantes anos. É, em Portugal, uma das pessoas que aborda, com maior seriedade e conhecimento, as questões europeias. Estivemos juntos em inúmeras iniciativas, comungamos muitas perspetivas, julgo que temos ideias bastante próximas em diversos temas internacionais. Tenho, além disso, por Paulo Sande um grande respeito pessoal. 

Não posso deixar de dizer que foi para mim uma surpresa vê-lo emergir politicamente ao lado de uma figura com o recorte público de Santana Lopes. É isso e mais nada que se me oferece dizer.

6 comentários:

Anónimo disse...

E a pessoa em questão tinha oportunidade de "emergir" noutro partido?

Luís Lavoura disse...

O "recorte público" de Santana Lopes parece-me muito injusto. Santana Lopes foi um dos mais sérios gvernantes portugueses. Tentou introduzir portagens nas autoestradas que no tempo dele eram gratuitas (as SCUTs) e tentou abolir as rendas antigas, ambas medidas que eram necessárias.

O problema de Santana Lopes é a má imprensa e a sua fama de socialite e de mulherengo. Mas como político, ele é muito melhor e mais sério e competente do que o resto da malta da direita.

disse...

"uma figura com o recorte político de PSL." Disse tudo. hahahahahahah

jose reyes disse...

"Santana Lopes foi um dos mais sérios gvernantes"!
Eh eh eh eh
Sim, enquanto "governante" fazia uma cara de sério que metia o Stan Laurel a um canto.

Anónimo disse...

O Santana ao menos pôs S.Bento em horário de Discoteca! À noite, o indivíduo ficava por ali, até tarde, em conversa amena com uns amigos...para retomar os árduos trabalhos de PM por volta das 1:00 da manhã. Dessacralizou S. Bento! Ora bem! Depois veio uma malta que figia interessar-se pelo interesse do Estado...embora fosse vende anel atrás de anel.
SL não é confiável politicamente? Se calhar! Mas, os que lhes seguiram - até hoje - deixam-nos iguais angústias politico-económico-sociais!

Pedro de Souza disse...


Não eram as bolachas Maria da Aliança?