domingo, 27 de junho de 2021

O silêncio é de ouro


O senhor almirante, que se tem ilustrado na feitura de escalas de vacinas e outras dimensões de natureza logística, pelas quais o país lhe está muito grato, talvez devesse ficar por ali. A frase, a ser verdadeira, é preocupante na boca de um oficial general das nossas Forças Armadas.

16 comentários:

netus disse...

Bom dia.
Exactamente. Bom Domingo
António Cabral

aguerreiro disse...

O homem está, presumo eu, a falar de "jogos de Guerra" é natural que neles se assuma pundonorosamente, provocando os competidores. Seria a mesma coisa que o treinador nacional o eng. Fernando Santos fosse dizer que gostava tanto da Inglaterra ou da Alemanha que até os deixava vencer e ...ganhar a taça europeia, Homem eles não são diplomatas nem ministros deste Eucaliptal-á-beira-mar-plamtado, mas que dá uns toques no esférico. Já se fosse em bola oval outro galo cantaria

Joaquim de Freitas disse...

Tudo seria diferente se o general tivesse dito Chineses ou Russos....Mas também é verdade que estes dois paises não fazem parte do "bando de criminosos" que puseram a Libia, na miséria..., reabrindo o mercado de escravos negros de Tripoli, lançaram milhares de refugiados nas estradas europeias, e afogaram centenas no Mediterrâneo. Mas gostei de ver neste texto do Sr. Embaixador, o coro de virgens, ultrajadas, que mesmo a "brincar", um general português tenha ousado dizer a verdade sobre o snobismo inglês, esse povo que não hesitou a enforcar um general português, um patriota, em Cascais ,hà muitos anos, e tinha como nome Gomes Freire de Andrade. Hoje, é Boris Johnson que sabe como tratar os portugueses...

José disse...

É fatal! Nesta terra ninguém resiste a ter tempo de antena. E os jornalistas não largam a perna a quem está na berlinda. Há já algum tempo que acho que o VICE-almirante anda a falar demais, a dar entrevistas demais. E isto, mesmo no contexto do seu trabalho. Todos estão sedentos de protagonismo e isto ainda vai acabar mal para ele. A medalhinha no 10 de Junho está garantida, a promoção, também mas parece-me que ele vai acabar corrido.

O homem não precisa de se pôr em bicos dos pés porque já é uma torre.

Portugal precisa de silêncio. Há necessidade de denúncia, investigação e debate sobre o que é público e mais nada. Todas as entidades públicas (das Freguesias aos Ministérios), deviam estar proibidas de ter contas nas redes sociais; os twitters dos ministros era para acabar já! Quem quer informação que vá aos sites ou subscreva as notícias.

Entrevistas "pessoais"? Só depois de deixarem os cargos. Entrevistas de rua? Remeta-se os jornalistas para as conferências de imprensa. Não é para isso que servem?!

Isto é um país de desbocados e indisciplinados!

A.B. disse...

A ser verdade. E é?

jose matos disse...

Eu acho que o Exmo. Vice-Almirante falou por falar e a demonstrar que ama o seu pessoal português - diríamos nós, do povo,-"da boca para fora"..., ninguém comece agora a pôr "chêpas" no nosso Almirante ...
O Sr. Embaixador, como é um homem muito brioso e brilhante tem é ciúmes dos serviços impecáveis do nosso garboso Almirante.
Sejamos agradecidos às nossas vacinazinhas...

Jaime Santos disse...

Existe uma coisa, Sr. Joaquim de Freitas, que se chama prudência diplomática da parte de um oficial no activo que poderá até ter que tratar com os seus congéneres dos dois Países Aliados referidos, no quadro da NATO.

Eu, por exemplo, apesar de adorar a Inglaterra, também não gosto de Ingleses, não tanto os snobes ou os aristocratas genuínos (é isso que snob quer dizer, sem nobreza), mau grado a pesporrência (espero não me ter enganado desta vez :) ), que a isso dá-se o desconto do complexo de inferioridade de quem precisa dela, mas sobretudo do lumpen bêbado, racista e mal-educado (o povo nem sempre se recomenda, mas V.Exa não deve perceber isso, revolucionário de sofá que é).

Só que eu sou um desilustre anónimo e o Sr. Vice-Almirante não o é.

Já agora, só para chatear, pelo menos Ingleses e Alemães não assassinam ou prendem os seus opositores políticos, coisa que os comunistas normalmente fazem quando chegam ao poder (muito embora a Rússia tenha mais de regime cleptocrata capitalista, por muito que o PCP teime em não o ver. But coming to think of that, so does China :) ...)

É surpreendente como a imprensa puxa sempre pela vaidade de cada um para fazer com que pessoas que até estão a fazer um excelente trabalho acabem a espalhar-se ao comprido.

Que Gouveia e Melo se cuide, para não seguir o caminho do seu antecessor, exactamente pela mesma razão (o que se passou no Hospital da Cruz Vermelha foi um mero pretexto)...

maitemachado59 disse...

Sim,Foram os ingleses que enforcaram Gomes Freire de Andrade e ainda por cima, recusaram o seu pedido de enfrentar um pelotao de execucao, a que tinha direito, como soldado.

Mas a culpa foi do primo, D. Miguel Forjaz.

maitemachado59

Francisco de Sousa Rodrigues disse...

Apesar de naturalmente existirem características culturais nas diferentes nacionalidades, não me detenho em estereótipos mal amanhados, opiniões sobre pessoas estabeleço-as a nível individual.
Desconfio sempre de quem devendo ter alguma capacidade de raciocínio mais esclarecido, se refere a milhões de pessoas pela mesma bitola.

A propósito, os meus Parabéns ao Sr. Embaixador pela nova política de tolerância zero aos negacionistas e afins no Facebook.

Joaquim de Freitas disse...

“só para chatear, pelo menos Ingleses e Alemães não assassinam ou prendem os seus opositores políticos” escreve o Senhor Jaime Santos, do seu sofá confortável…

O Sr. Jaime Santos tem um grande défice de memória! Vá dizer isso aos irlandeses! Aos indianos, aos quenianos, aos malaios, aos aborígenes, aos zimbabueanos, aos boers, aos maoris, etc,etc;

Quanto aos alemães, por decência, seria melhor abster-se de os mencionar.

Joaquim de Freitas disse...

Ao Sr.Jaime Santos

Gouveia e Melo:


Voltando ao tema principal do texto do Sr.Embaixador, que um anti comunismo primário levou a pôr de lado, a suposta imprudência do vice Almirante, está longe de poder ser comparada àquela de Victoria Nuland, uma alta diplomata americana, Secretária de Estado Adjunta dos EUA para a Europa que fez comentários diplomáticos muito insensíveis sobre a União Europeia ao telefone. "Deixem a UE ir e fodam-se", disse ao seu interlocutor sobre a crise na Ucrânia.
A imprudência do vice Almirante é uma brincadeira, comparada a esta linguagem de arruaceiro…, so comparável à de Joe Biden tratando um Chefe de Estado duma grande potência de “assassino”…
Para retomar os termos do Sr.Jaime Santos :” oficial no activo que poderá até ter que tratar com os seus congéneres dos dois Países Aliados referidos, no quadro da NATO.”, Não acha que esta “diplomata”, pode vir a ter de “conversar” um dia com os seus congéneres?

Luís Lavoura disse...

Excelente comentário o de José.

carlos cardoso disse...

Completamente de acordo com o que escreve Francisco de Sousa Rodrigues. Se todos os comentadores seguissem a mesma regra poupava-se muita asneira...

Joaquim de Freitas disse...

Senhor Carlos Cardoso: Não vejo diferença entre os milhares que partiram ao assalto do Capitólio, templo da democracia americana, e os 70 milhões que votaram por aquele que os incitou ao crime.

Estes milhões, e o seu chefe só podem julgados pela mesma bitola, que os caracterizam

Unknown disse...

Depois de tantos "adizeres" fui reler as declarações de Gouveia e Melo. Será que muitos destes debitadores de palpites e de fel não perceberam que o vice-almirante estava a ironizar. E aquilo, naqueles gabinetes e naqueles mapas e esquemas, é tudo uma "brincadeira", uma simulação.
Por mim, e de há bastantes anos, bem me lembro que nesses "exercícios" de gabinete os inimigos eram, sempre, sempre, sempre, "vermelhos"... para comodidade e contentamento do pessoal. E para formatar mentalidades; para fazer "ideologia". Pacificamente, claro...

Lenah disse...

Claro que estava a ironizar! a mulher dele por acaso eh inglesa