sábado, 19 de junho de 2021

As origens do fado


Não há nada de que um português goste mais do que dramatizar ao extremo os seus infortúnios. Ou como é que julgam que nasceu o fado?

5 comentários:

Portugalredecouvertes disse...


O Fado nasceu um dia,
quando o vento mal bulia
e o céu o mar prolongava,
na amurada dum veleiro,
no peito dum marinheiro
que, estando triste, cantava,
que, estando triste, cantava...

https://www.youtube.com/watch?v=7DglwLtq2z4
https://www.youtube.com/watch?v=qt_bAuxi40A

Jaime Santos disse...

È absolutamente patético que o País entre num estado maníaco-depressivo de cada vez que a seleção joga numa fase final de uma competição internacional e que vai da euforia à depressão com uma derrota. Somos mesmo um povo de gente muito insegura que projecta as suas esperanças numa equipa de pessoas que não têm nada que ver com o cidadão comum.

Eu gostava de saber se os Suíços têm o mesmo problema só porque o seu futebol não é lá grande coisa...

Flor disse...

O bom português gosta de um bom choradinho, do coitadinho.Ainda me lembro que quando era pequena havia um folhetim que fazia chorar as pedras. Chamavam-lhe "a coxinha do Tide".
Gostei muito de ouvir a Dulce Pontes.:)

Flor disse...

Também "acho absolutamente patético" repetindo Jaime Santos. Vi na TV que afinal alguns (muitos) foram ver o jogo nas esplanadas repletas de gente a beber cerveja e com as mesas carregadas de imperiais (finos). Ainda falámos mal dos ingleses há dias no Porto.

Dulce Oliveira disse...

Por isso é que não gosto de fado
Para tristezas bastam as inevitáveis que nos tocam a todos de vez em quando