sábado, 4 de novembro de 2017

Presidentes



Há pouco mais de um ano, num encontro sobre relações internacionais em que participei em Kiev, na Ucrânia, foi anunciado um convidado surpresa, durante o jantar de encerramento. 

Estávamos a poucos dias das eleições americanas. No grande écran da sala surgiu Hillary Clinton. A sala rejubilou. Ela era a candidata que, à época, dava mais garantias de conduzir os EUA, e com eles o mundo ocidental, numa atitude anti-Moscovo - ideia que mobilizava por ali muita gente. Mas Hillary, naturalmente, não se deslocara à Ucrânia.

Surgiu então a foto de Donald Trump. Embora entre os convidados americanos para o encontro se contassem figuras conservadoras como Robert Gates, John Bolton, Karl Rove ou Newt Gingrich, a sala foi bem menos efusiva, “to say the least”. Era o tempo do “namoro” entre Trump e Putin e os ucranianos temiam que a sua eventual eleição redundasse num imenso desastre para os seus interesses. Enganavam-se: Trump mudaria de orientação e a Ucrânia cedo deixaria de o temer.

(Dias depois, na ocasião surpreendente em que a “onda Trump” varreu a América, eu estava por acaso em Berlim, num outro encontro, desta vez com diversas figuras do governo alemão. E pude assistir, devo dizer que com alguma surpresa, ao “pânico” que os atravessou, perante o resultado da eleição. Hoje percebo-os bem melhor.)

Regressemos a Kiev, a setembro de 2016. O organizador do encontro, um milionário ucraniano, disse-nos que, infelizmente, não pudera garantir a presença na conferência de nenhum dos candidatos às eleições americanas. Mas anunciou que tinha um “presidente” substituto à altura. E entrou então na sala Kevin Spacey. Uma bela surpresa. O “presidente” da famosa série televisiva “House of Cards”, “Frank Underwood”, fez uma intervenção magnífica, inteligente e informada, sobre a ficção e a política, dando-nos, com eloquência, a sua visão desse mundo e conseguindo transmitir àquele momento de encerramento uma dignidade e uma qualidade muito elevada. Spacey não é um ator normal; é um intelectual culto e muito elaborado, bem acima da média.

Lembrei-me muito desse momento, nos últimos dias, quando vi Spacey pessoalmente mergulhado, de forma degradante, numa vaga de acusações sobre atos de assédio sexual, idêntica à que hoje se vive em largos setores dos Estados Unidos. Dei comigo a pensar o que poderá significar para um grande e reconhecido ator, ainda ontem com o mundo a seus pés, ver ruir, de um dia para o outro, por erros próprios do passado que ele próprio não deixa de reconhecer, toda uma imagem e um prestígio laboriosamente conquistados.

14 comentários:

Francisco Seixas da Costa disse...

À Sra. Lucilia Vieira Domingos pediria que me enviasse o seu contacto para franciscoseixasdacosta@gmail.com

Joaquim de Freitas disse...

Senhor Embaixador, mas desde o tempo de Kennedy e depois Clinton, que estamos habituados a estes saltos de popularidade dos políticos americanos.

O escândalo »Lewinsky”, que levou Clinton perante o Congresso num processo de ‘impeachment » , que ultrapassou, é a prova. Se Clinton ficou na história pelo seu apoio à desregulamentação d agricultura e das comunicações, e varias guerras e abusos contra a humanidade, a “desregulamentação” com a Mónica fez rir muita gente. A hipocrisia é total.

Na realidade é toda a sociedade ocidental que mergulha no escândalo. Mesmo a Igreja! Escândalos sexuais custam caro à Igreja Católica nos EUA
Muitos cofres estao vazios após serem obrigadas a indemnisar vítimas de abusos em milhões de dólares, oito dioceses faliram

Os valores ocidentais , da democracia, da ética e da moral, pelos quais se bombardeiam tantos povos por esse mundo fora, jà não são o que eram.

Spacey e Weinstein, Strauss Kahn e tantos outros, fazem parte desse mundo que cheira mal…

Anónimo disse...

Lá vem o outro com o mundo ocidental e os americanos. Ao menos, no ocidente, decuncia-se e pune-se estes casos. Bem diferente das escravas sexuais de Mao Tsé Tung e do maluco da Coreia, por exemplo!

Anónimo disse...

@Joaquim de Freitas

Por falar em escândalos palpita-me que esta para rebentar ai outro.

https://www.youtube.com/watch?v=ROUkixocH_w

Bill Clinton was just caught! Bill Clinton’s meeting with Vladimir Putin has been exposed in the mainstream media. Bill’s Clinton Foundation just happened to collect millions of dollars in bribes donations from Russian sources and Uranium One shareholders shortly after his Moscow meetings.

Anónimo disse...

@Anónimo 4 de novembro de 2017 às 15:28

Prodigiosa a sua capacidade de inventar. Ja pensou em ir para inventor?

Augie Cardoso, Plymouth, Conn. disse...

Entretanto, o Trump foi de romarias para a Asia.

Em casa vai levando um licao de "Res publica" e tortura a conta gotas. Da justica e do congresso que introduziram diversas mocoes de "impeachment".

Sera que o homem dos fogetoes da Norte Koreia se inquieta com o homen do fire and Fury" com 3 porta avioes a volta ainda tem vontade de " libertar a Koreia do Sul?!?....

Sera que o recoroado Sec. GEral de Peking, vai por OS actors Onde estao as palavras. "Talk is cheap" .

Anónimo disse...

@ Augie Cardoso

Sera que o Augie Cardoso depois de levar com uma ogiva nuclear bem certeira do homem foguete em Yellowstone ainda vem aqui alvitrar?

Joaquim de Freitas disse...

O anónimo de 4 de Novembro de 2017 às 15:28, nem viu que o “post” do Embaixador era sobre Spacey, um Americano, e não se tratava de Coreanos ou Chineses. O anónimo continua a sofrer de cegueira aguda! Já agora diga-nos lá a que pena Clinton foi condenado… E não falemos dos mortos, senão poderia lembrar-lhe as amantes de Roosevelt, de Kennedy e muitos outros. Mas não eram escravas, porque pertenciam à burguesia.
Aparentemente, os desvios sexuais, os abusos no Ocidente, são, para si, menos graves, porque são denunciados e punidos.com alguns dólares. Como por Strauss-Kahn. Pobre ideia da Justiça que a sua…

Joaquim de Freitas disse...

Augie Cardoso começou a lenta auto flagelação aplicada pelo sei ídolo de há alguns meses ; quando escreve :- Em casa ( Trump) vai levando um lição de "Res publica" e tortura a conta gotas. Da justiça e do congresso que introduziram diversas moções de "impeachment".’ Pobre Augie, o caminho será longo até ao purgatório…

Augie Cardoso, Plymouth, Conn. disse...

Ao atrasado mental,
@ anonimo 2:39

Segundo principio de guerra justa, se a dictadura militar de Norte Korea, lancar missile com azimuth de Guam ou USA continente,

Alta probabilidade que seria interceptado nos primeiros 5 minutos de alta altitude na area, no mar ou no Japao. Por antimisseis.
Now proximos 5 minutos antimisseis espacial de Alaska, Nevada e Honalulu 99% seria botado abaixo no meio do Pacifico,
E RESPOSTA MASSISSA a Norte Korea , que seria reduzida em 30 minutos....A CINZAS.

Mas o Jun UM de Pyongyang nao e estupido, se decidir LIBERTAR a Korea do Sul , sera ataque convencional a SEoul, muintas mortes e ao fim de 3 Dias estara morto um na prisao e povo sem OS carrascos de 50 anos.

Augie Cardoso, Plymouth, Conn. disse...

Dizem estasticas que OS USA tem MAIS forca militar que OS proximos 8 paises do mundo mais poderosos.
Tem que ser para defender nao so OS trasmontanos s acoreanos da America mas tambem da Europa ou do meio do Atlantico.

Parece que todas essas armas, OS 2 milhoes de soldados, OS 200 milhoes de cidadaos armados ate aos dentes, pouco conta
Pras revolucoes do Facebook ou Twiter. Um conductor de Camiao ou MEIA duzia de kamicazes islamicos com navalha de bolso..

Quanto aos PENDURAS do Estado , de Lisboa faz me confusao. Lutar contra NATO no palacio e pela NATO no Terrano.. !!!!

Augie Cardoso, Plymouth, Conn. disse...

@ J Freitas,

Tenho inveja e das vistas que ai pelos alpes e brancura.
Mas aqui tambem nao vai demorar muinto. Passé um bom Domingo.

Ainda nao entendi porque na Franca o povo votou contra a espuerda e contra a direita do costume.... E ao fim FICARAM LA OS MESMOS.

Anónimo disse...

@Augie
Voce revela ser tao bom em conhecimentos militares como em escrita Portuguesa.

"OS 200 milhoes de cidadaos armados ate aos dentes"
Sim e por isso que ai nos eua se andam a matar uns aos outros. E rara a semana que nao chegue aqui a noticia de um tiroteio.
Ainda vivem nos tempos do Velho oeste, Oeste selvagem ou faroeste e do Tiroteio no O.K. Corral. Velhos habitos sao dificeis de perder.

Yellowstone Yellowstone Yellowstone Yellowstone

Joaquim de Freitas disse...

Augie Cardoso é aquilo que chamamos comummente : um ponto. De vez em quando acerta uma: - por exemplo, quando escreve que em França se votou à esquerda e à direita e são os mesmos que voltaram ao poder. Só que não viu que foram os mesmos que já lá estavam antes…que se candidataram.

Mas Augie Cardoso, esquece que é como nos USA : Democratas e Republicanos, é a alternância de sempre. Mas nada os distingue. As mesmas guerras, começadas por uns são continuadas pelos outros. Entre a reaccionária Clinton e o reaccionário Trump qual era a diferença? Nenhuma. Augie Cardoso não corria nenhum risco de se enganar na escolha: são os mesmos.

O risco é que Trump quer também a sua guerra, novinha em folha, decidida por ele, que deixará em seguida ao …seguinte, na Casa Branca. E esta guerra está a prepará-la. E se o deixarem, a menos que o internem numa casa de reeducação de alienados, será a Coreia do Norte. Ou o Irão, porque o seu aliado Saudita está a preparar-lhe outra opção…

O que o desespera é que a Coreia do Norte não envia nenhuma esquadra “passear” ao longo das costas da Califórnia ou do New Jersey…E não sobrevoa o Connecticut com os seus aviões nucleares… Isto limita os pretextos…para lançar a guerra, a sua guerra…

Bush tinha Colin Powell para mostrar os frasquinhos de plástico na ONU, terríveis AMD… Mas o Coreano não é Saddam. E o Coreano tem dois amigos a curta distância…

Mas olhe que você é realmente um ponto, Augie Cardoso, quando escreve , com a sua prosa e ortografia :- “Dizem estasticas que OS USA tem MAIS forca militar que OS proximos 8 paises do mundo mais poderosos.
Tem que ser para defender nao so OS trasmontanos s acoreanos da America mas tambem da Europa ou do meio do Atlantico.”

Deixe que lhe diga: Reze, reze com o fervor habitual dos Transmontanos e Açorianos que cruzei frequentemente lá para Stamford e Boston,( e são infelizmente vitimas dos padres pedófilos) reze , que os USA não decidam de vir “defender” os Transmontanos e os Açorianos da América , da Europa e do meio do Atlântico, porque cada vez que os Americanos (com uma rara excepção, por interesse próprio, também,) decidiram de defender as nações do mundo , com os seus milhões de soldados e armas sofisticadas, não deixaram pedra sobre pedra, no Vietname e Camboja, devastaram as lezírias da Ásia e as suas velhas civilizações , deixaram milhões de mortos a apodrecer nas ruínas das cidades e vilas arrasadas, milhões de estropiados e crianças deformadas pelo napalm e o agente Orange desfolhante que continua a matar, incluindo alguns milhares dos seus próprios soldados, do Afeganistão, ao Iraque, à Síria, à Líbia, à Somália, ao Líbano, à Nicarágua, ao Haiti, a Cuba, à Argentina, à minúscula Grenada, às Filipinas, e mesmo às suas portas, como em 1846, a guerra contra o México, para lhe roubar a Califórnia, o Nevada, o Utah, o Novo México e o Colorado…

Reze, Senhor Augie Cardoso, reze que os seus compatriotas yankees não queiram defender mais ninguém na Terra, já desgraçada pelo sistema económico capitalista que , fabrica cada vez mais milionários, o tal 1%, que explora quase o mundo inteiro; e o obrigou a emigrar de Trás os Montes um dia, para não morrer de fome por cá, porque por cá, embora o sistema seja o mesmo, as migalhas que caiem da mesa são mais pequenas. A não ser que tenha deixado a sua terra, a nossa Terra por razoes turísticas.E nesse caso ...