terça-feira, 8 de junho de 2010

Filosofia portuguesa

Com esta bela foto de Helena Almeida na capa (que, estou certo, vai fazer as delícias do Criativemo-nos), foi ontem apresentado, ao fim da tarde, no Centro Cultural da Fundação Calouste Gulbenkian, aqui em Paris, o nº 68 da revista Rue Descartes, dedicada ao tema "Philosopher au Portugal aujourd'hui".

Os cultores dessa escola de autoflagelação que hoje domina o sentimento comum português - uma linha teórica que poderíamos apelidar de "comentar e lamentar" - dirão que o título deste volume é um contrasenso. Deixemo-los a falar sozinhos, nos seus blogues e nas suas colunas de padecimento biliar.

Para o que nos interessa, este número do Rue Descartes é um retrato sobre o pensamento filosófico contemporâneo em Portugal. Foi um gosto ouvir falar especialistas franceses e portugueses, em hora e meia de interessante reflexão e escalpelização dos textos, sob a condução de Maria Filomena Molder, sobre alguns dos percursos da nossa filosofia. O texto de Fernando Gil que sobressai nesta publicação - "O hospital e a lei moral" - serviu de eixo para uma análise fascinante de Jean Petitot.

E, já agora, para os visitantes de Paris recomendo, até Outubro, a magnífica exposição de pintura inglesa dos anos 60 que enche as salas do edifício da Gulbenkian na avenue d'Iéna - "Ainsi font les rêveurs/As dreamers do". Verão que não se arrependem. 

4 comentários:

margarida disse...

Oh! :) ... estou previsível demais! :) - e refiro-o assim, sem pejo, porque mal se iniciava a visualização da foto e já a admirava, deliciada - exactamente como supôs!
Eis que tropeço no seu sorriso entre parêntesis e não contive uma gargalhada.
Merci...
Hoje chove muito e até faz frio; não fora o cálice de Porto e esta (gentilíssima) surpresa fora de horas, e o cinzento ter-se-ia esticado pela madrugada.
Fica a cor da pegada, entre o rubi e a chama.
...Ainsi font les rêveurs...

Anónimo disse...

Procurando a Harmonia e a coerência...

Com ... A filosofia Portuguesa

A tonicidade dos gémeos(pose de bailarina segura) é paradoxal
Atendendo ao comprimento do casaco preto(conservador)...

Agora... O enigmatismo qb...
O despretensiosismo do já estamos por tudo never por Nada...

O pormenor da rebeldia do vermelho em Planta ... De pé...

Claro que é uma das Faces criativas da Nossa Maggie...
Isabel Seixas

Helena Oneto disse...

Que bom ouvir uma boa gargalhada enquanto se espera pelo sol!

Helena Sacadura Cabral disse...

Não fossem Helena Almeida e o padecimento biliar, ambos tão portugueses, que seria dos cultores do optimismo salvífico?!
:))

PS. Já me esquecia. Se deixa os autoflagelados a falar sozinhos, de que matéria se alimentarão os filósofos do Portugal contemporâneo?