domingo, 6 de junho de 2010

Dário Castro Alves (1927 -2010)

Acabo de saber da morte, em Fortaleza, de Dário Castro Alves.

Antigo embaixador brasileiro em Portugal e, mais tarde, cônsul-geral no Porto, Dário Castro Alves era um grande amigo do nosso país, onde criou forte prestígio e deixou uma marca de profunda ligação à nossa cultura. Autor de extensa bibliografia, tinha um particular fascínio por Eça de Queirós, tendo sido convidado de honra nas comemorações dos 160 anos do nascimento do romancista, que a Embaixada portuguesa em Brasília levou a cabo em 25 de Novembro de 2005.

Em fins de 2008, organizei, também em Brasília, e em associação como Instituto Rio Branco, uma homenagem a Dário Castro Alves, que contou com testemunhos e a presença de muitos dos seus amigos, de antigo colaboradores e de simples admiradores (ver aqui e aqui). Na altura, editámos também uma sua completa biobibliografia.

Dário Castro Alves, um verdadeiro embaixador luso-brasileiro, era um amigo pessoal. Com a sua morte, desaparece uma figura marcante de uma geração brasileira que cultivava uma relação muito forte com Portugal.

Leia mais aqui e aqui.

3 comentários:

Helena Sacadura Cabral disse...

Que ano Senhor Embaixador! Ou estou muito velha ou está a desaparecer demasiada gente conhecida.
Conheci Castro Alves. Era uma pessoa encantadora!

Pedro F. Bretas Bastos disse...

Caro Amigo,
Vou enviar sua nota à sobrinha dele, Márcia
Grande abraço aqui da Irlanda.

João Barão disse...

O Senhor embaixador Dário de Castro Alves foi Sócio honorário da TERTÚLIA LITERÁRIA E ATÍSTICA PARLATÓRIO, onde proferiu várias conferências.
Grande amigo da Tertúlia Parlatório, e presença constante nas suas actividades.
João Barão