quinta-feira, 10 de junho de 2010

Estátua de Camões

Luis Vaz de Camões, cujo aniversário da morte ontem se assinalou, teve um busto seu, em bronze, inaugurado em Paris, em 1912. Ao que consta, a vizinhança não terá apreciado a obra e, num "golpe de mão" noturno, fê-lo desaparecer, menos de um ano depois. Depois de um acidentado percurso, o tal busto acabou, felizmente, na posse da Fundação Calouste Gulbenkian.

Anos mais tarde, em 1924, uma nova estátua - que se vê na imagem - foi instalada ao fundo da escadaria em que a avenue Camoens se cruza com o boulevard Delessert, a dois passos do Trocadéro.

Ontem, numa simples cerimónia evocativa, apenas acompanhado por funcionários da Embaixada, coloquei lá uma coroa floral, com as cores da nossa bandeira. Notei, com agrado,que alguém já tinha tido o cuidado de deixar um ramo de flores ao nosso poeta.

5 comentários:

José Martins disse...

Senhor Embaixador,
Muito bonito! Gostei
Saudações Lusófonas do Rio Kwai - Tailândia

Anónimo disse...

Alguém
Lhe
Ofereceu um poema
Afago
Indelével
Caricia
Muda gritante suprema
Sorriso
Mendigo
Amigo
Rosto peregrino brisa amena
Lembrança
Bonança
Esperança
Cadência vida morte vida serena
Isabel Seixas

Alcipe disse...

Manda-me o Senhor Luis Vaz de Camões agradecer a Vossa Mercê a lembrança, que muitos o gabam, mas poucos o lêem e mais me manda vos recomende que cuidemos bem dos nossos cavaleiros no Sul da África, pois que um Cristiano não vence só por si a Cristandade! Atendei a que os Galos nunca digam que são para mandados e não para mandar os Portugueses e ficai de bem com Deus! Vale!

sara disse...

Já agora Senhor Embaixador poderá sff pedir que escrevam o nome Camões bem na placa da rua. Os nomes não se traduzem e muito menos se escrevem para a pronuncia local.Obrigada

Anónimo disse...

Este busto de Camões é de autoria de Clara Meneres ( se não estou em erro). Foi inaugurado no Outuno de 1987 por Mário Soares, então Presidente da Pepública, e por Jacques Chirac, então " maire de Paris".