quinta-feira, 25 de outubro de 2012

"Vamos falar português"

Foi ontem, ao final da tarde, na UNESCO. Em mais uma sessão da iniciativa "Vamos falar português", algumas dezenas de luso-falantes e outros apenas amigos juntaram-se para ouvir falar do fado e ouvi-lo tocar cantar. Para tal, fiz a apresentação da doutora Ana Paixão, que é musicóloga e dirige a casa de Portugal na Cité Universitaire de Paris, e de Mónica Cunha, uma voz do fado em Paris, que também combina com a sua atividade docente.

As origens do fado estiveram inevitavelmente na berlinda, tendo sido evocada a polémica luso-brasileira em torno da teoria de que o fado "é brasileiro". Uma certa doutrina aponta no sentido do fado ter nascido, nos anos 20 do século XIX, em torno de figuras regressadas com a corte de dom João VI, portadoras de uma musicalidade onde se misturavam influências africanas e já brasileiras, que acaba por se fixar nos arredores de Lisboa e dar origem ao início daquilo a que hoje chamamos fado.

Uma amiga (brasileira, claro!) perguntou-me: "Você vai ter coragem de colocar no seu blogue que o fado é brasileiro?". Respondi-lhe que sim e que até acrescentaria que há rumores de que dom Afonso Henriques tinha uma prima do Ceará...

14 comentários:

Anónimo disse...

Bela resposta! Que mais diremos daqui a meia dúzia de anos se a Europa (a da União) não se puser fina?!

Anónimo disse...

Eu, Luso me confesso, estou disposto a ceder a origem do fado ao povo brasileiro, se os mesmos admitirem que o samba, a MPB, e bem assim, toda e qualquer expressão cultural brasileira que não possa ser directa e indiscutivelmente imputável, nos seus primódios, aos Tapuias, os Carijós, aos Tamoios, aos Tupinambás, aos Amaupiras, aos Potiguaras de Pernambuco, etc., tem na sua origem na cultura Lusa e/ou a sua enorme influência.

Como alguém, com mais saber que o meu, disse uma vez: graças a Deus que a garota de Ipanema não é em Holandês porque senão lá estaria eu a cantar Het was door de wil van God dat ik woon in die angst. Dat alle "kastjes" zijn van mij, dat is Completel mijn verlangen. Het was door de wil van God. (google translate de "Uma estranha Forma de vida" para a língua desses icones musicais como os VengaBoys .. Shala lala).

A culpa disto tudo é do Pacheco Pereira, dizem.

Nuno 361111

Anónimo disse...

Pois. A intelectualização do fado.... tem de se ter algumas cautelas. O que se sabe é que foi um meio de transmitir estados de alma das diversas classes sociais desde as mais tradicionais às mais pobres. De onde veio.. tanto pode ser de África, Brasil ou mais provavelmente da "moirama" das cidades portuguesas mas não sei se é essencial saber-se isso. Em 74/75 foi desclassificado.... Mas eu não sei

Anónimo disse...

Mas pronto, já lá vai tanto tempo que agora o fado já pode ser nosso; como a concertina, e o cavaquinho, e a saudade...
Senão ficavamos quase sem nada!
José Barros 

Anónimo disse...

Tapuias? Quem são esses? Alguma tribo emigrada do espaço sideral? Nunca existiu nenhum grupo indígena com esse nome - essa palavra é o termo que tribos Tupis usavam para designarem os indígenas que não pertenciam à sua tribo e, literalmente, significa "não-gente". Nada mais...

Anónimo disse...

...e que,quem descobriu o Seará,tinha um primo em Barcelos.

Anónimo disse...

Quando eu era mordomo no Palácio de São Clemente, disseram aos meus filhos, na escola, que a "Tia Anica de Loule" era uma das mais típicas e tradicionais canções infantis brasileiras.

a) Feliciano da Mata

patricio branco disse...

não acredito nas raizes africanas do fado, nada há no ritmo do fado que lembre a musica (indigena, folclorica)africana. é uma canção relativamente recente tal como a conhecemos, mas mesmo assim está pouco documentada. do brasil sim, mas canção de portugueses que lá viviam, sim é possivel, mas oriunda de ritmos locais tambem não. há uma canção africana que no fundo é ou funciona como um fado, a morna de cabo verde, mas vê se que o percurso tambem foi de cá para lá.
outros gostam de falar nas influencias arabes do fado...
enfim, boa iniciativa as sessões de convivio em português na unesco acompanhadas de fados. falando dele a propósito de primas, quem sabe se no tempo do pai da nacionalidade já se cantava algum tipo de fado dentro das muralhas de lisboa?!

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Nuno 361111
O seu comentário é delicioso. Claro que a culpa é do Pacheco Pereira.
Só não sei se ele sabe que nós sabemos!

Helena Sacadura Cabral disse...

Ó Feliciano da Mata mas em que escolas é que põe os seus filhos?!

Portugalredecouvertes disse...

Eu já disse que os brasileiros são uns queridos! lindos e lindas!

mas é uma pena que declarem constantemente que tudo que há de legal no Brasil (e sendo assim não só), foi criado pelos brasileiros, nem que seja no século XVII! e o que existe de mau, é herança da época colonial!
fico triste com isso.
que atrofio!

Francisco disse...

Creio que O Brasil é que descobriu Portugal muito antes que nós ...

Cps

Anónimo disse...

quem nao vive em frança nao tem oportunidade de ver miudos de 5 anos a desafinar "nossa nossa"...

mas istos sao outros fados


mv disse...

O fado é do Brasil? Aliás o fado é tão brasileiro como o samba é tão português... A bem da verdade, o fado, por cantar o sofrimento, a saudade, o ciúme, as loucuras amorosas da vida, o destino e os tempos da mouraria nem é brasileiro e nem tão pouco português: é UNIVERSAL!
Silvestre Gorgulho