quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Emigração

O comportamento do Estado Novo face à emigração é o tema de um livro de Victor Pereira, intitulado "La dictature de Salazar face à l'émigration - L'État portugais et ses migrants en France (1957-1974)". O autor é doutorado em História pelo Instituto de Estudos Políticos, em Paris.

Convidei Victor Pereira para apresentar o seu trabalho na Embaixada, no dia 26 de novembro. Dada a escassez de lugares, quem estiver interessado em estar presente nesta sessão de lançamento e no debate que terá lugar na ocasião deverá inscrever-se através do mail portugal.paris@gmail.com.

5 comentários:

Anónimo disse...

A emigração é uam solução para a actual crise, e um tema actual.

Pois nem no poder local podemos confiar, Braga e bem tentou implemantar 5 negócios, mas a incompetencia dos politicos fizeram o jovens perder tempo e gastar recursos, é o espelho dos politicos incompetentes que temos

http://bacalhaucomcoentros.blogspot.pt/2012/10/encaixa-te-braga.html

Anónimo disse...

Salazar condenava com pena de prisão aqueles que emigravam sem o seu consentimento e isso não estava bem porque havia mais do que uma razão para centenas de milhar de portugueses não quererem aguentar aquela disciplina...
Hoje o governo português não condena a emigração mas condena os portugueses a emigrar porque existe ainda uma razão, a mesma que no tempo de Salazar, para centenas de milhar de portugueses voltarem a perder esperanças num futuro risonho em Portugal. E a maioria desta gente que parte, ao perder confiança na capacidade dos governantes do País acabam por perder confiança no regresso e ficam perdidos para Portugal. Mas também não se podem deixar morrer de fome...
Afinal de quem é a culpa deste esbanjar de gente com a formação e as capacidades que os portugueses têm e que Portugal abandona em benefício de outras nações?
José Barros.

Anónimo disse...

José Barros é assim: preso por ter cão e preso por não o ter! Senhor Embaixador saio de Paris a 25, mas acompanharei essa ocasião por aquilo que nos contar e, desde já felicito-o por "esse tempo" de Portugal ser escrutinado na Embaixada de Portugal em Paris.

Fada do bosque disse...

... e quem irá um dia escrever sobre a ditadura da máfia portuguesa do bloco central e do seu comportamento frente à emigração?

Isabel Seixas disse...

Um livro de certeza bem interessante para fazer memória e comparar com o fenómeno atual da emigração face ao contexto socioeconómico e político.

Diferenças acentuadas nos percursos e na configuração das distâncias física e emocional?...

Anteriormente o percurso a salto e agora num salto...
A possibilidade da comunicação face a face a qualquer momento do dia através das redes de comunicação que atenuam a saudade.

O paradigma da nova e ampla cidadania, somos cidadãos do mundo(por necessidade ou por opção, aproximando os conceitos de migração/emigração.

Quanto aos custos?Contas feitas...

Decerto terá pano para mangas sr. Embaixador na apresentação, embora a época retratada no livro esteja delimitada num periodo.