domingo, 31 de março de 2019

Indignação

Gerou-se por aí uma indignação “azul” pelo facto de eu ter qualificado o comportamento do treinador do Futebol Clube do Porto, numa reação instantânea no Twitter, com palavras duras e que, com serenidade, reconheço que foram exageradas. Confesso que, de há muito, me desagrada bastante o modo como figuras de relevo do nosso futebol se comportam em público, dando mostra de uma imensa falta de respeito pelos adversários, servindo de exemplos negativos que ajudam à degradação do nosso futebol. A minha reação, neste caso particular, como já aconteceu face a atitudes de pessoas de outros clubes, entre os quais o meu próprio clube, foi a expressão extrema dessa minha indignação. Mas não me custa reconhecer que os termos não terão sido os mais felizes.

21 comentários:

S Liberato disse...

Substituindo "javardo" por "grosseiro" teria sido mais "simpático".

O 5º3 disse...

Há dias assim...como portista não gostei, mas continuo a ler o que escreve com interesse e só sai um bocadinho beliscado

João Cabral disse...

O senhor embaixador não qualificou nenhum comportamento, dirigiu-se directamente à pessoa, chamando "javardo" ao treinador do FCP. Isto não são maneiras de um servidor público falar, muito menos de um diplomata. E a indignação não foi azul (que eu nem sou nem ligo sequer a futebóis), foi generalizada. Parece que, ultimamente, a classe política anda com os nervos em franja com o futebol. Já era só o que faltava para a machadada final na credibilidade. Depois, admirem-se de que os populismos andem na ordem do dia. Ao menos reconheceu que o que fez foi infeliz, vá lá...

Anónimo disse...

Se, de facto, admite que as suas palavras foram exageradas escreva um tweet a referi-lo. Não o faça envergonhadamente num blog. Se, de facto, há comportamentos que lhe desagradam no futebol com certeza que num próximo tweet se irá referir à vergonha nacional que constitui o concedimento de créditos avultados a figurinhas como o Luis Filipe Vieira etc e tal.

Anónimo disse...

Lido.

Despacho:

Ainda se pensa que o football neste país é recuperável. Mas não é de facto com a mesma gente que o dirige lá agora.
A crise é tal que já não se sabe falar em público. É o espelho do resto do país mas........ que nos mostram pouco nas tv's.

Deferido por ter finalmente percebido como as coisas são.
[Tudo o que se disser é pouco.]
Ele é o pão e o circo para calar os desgotosos. Enquanto falam no club não teem oportunidade de pensar em coisas sérias.

Anónimo disse...

Pergunto-lhe simplesmente se chamar alguem de “javardo” não contribui igualmente para perpetuar a falta de respeito e a degradação do futebol?

Anónimo disse...

Francisco, desta vez, foi longe demais. Não era necessário. Falou o coração, em vez do racional. Este tipo de atitudes acabam por se nos colar para sempre. O Sérgio não é flor que se cheire, mas alguém como você não se pode dar ao luxo de se colocar ao nível dele. Enfim, há dias melhores e outros piores. Um tipo acorda menos bem disposto e zás toca de zurzir em alguém. Calhou ao tipo do FCP. Mas, como digo, cabeça fria de futuro, pois "não havia necessidade". Boa noite!

Anónimo disse...

Eu cá não vejo o problema do tuíte. É bastante exacto. Infelizmente, são dezenas assim que a televisão nos mostra, chamando frontalidade à mais manifesta boçalidade e apelo ao ódio. Que a maioria dos adeptos dos clubes (como aqui se vê) tudo perdoe aos seus e nada desculpe ao outro, atira-os também para o lamaçal infrequentável do pontapé na bola-

Anónimo disse...

Pois javardo e grosseiro são sinónimos.

Neste caso parece me JAVARDO, mais apropriado.

Vão "saltar" mais virgens ofendidas?

Castro disse...

"Confesso que, de há muito, me desagrada bastante o modo como figuras de relevo do nosso futebol se comportam em público..."

A isto pode-se acrescentar: "Olha para o que digo e não para o que faço"...

Torne pública essa sua suposta tomada de consciência; só lhe ficaria bem.

Jose Correia disse...


Declaração de interesse:
-Declaro que sou única e simplesmente, adepto dos seguintes "clubes" :

SELEÇÕES NACIONAIS PORTUGUESAS ,em todas as modalidades !

Anónimo disse...

o futebol é o ópio do povo, ou o opróbrio, ou lá o que é...

José Carlos Pereira disse...

Os termos usados foram, de facto, muito infelizes. E surpreendentes para mim, vindos de quem vieram. Sou leitor assíduo dos seus escritos, acompanhando muitas vezes as suas opiniões e até partilhando algumas delas nas minhas redes sociais. Não esperava, por tudo isso, vê-lo descer àquele nível. Sou sócio do FC Porto, vivo o jogo e exaltei com a vitória em Braga. Sérgio Conceição fez o mesmo e daquilo que vi - braços no ar e gestos de exaltação do emblema que levava no peito em direcção à massa adepta colocada no segundo anel da bancada - não encontrei nada de diferente do que vejo em todos os estádios, em jogos empolgantes, que terminam com vitórias à justa.

Anónimo disse...

Quem dorme com canalha amanhece mijado...
Os futebois de hoje, especialmente os disputados nas televisões, por longas horas e sem regras que se conheçam, estão cheios de javardos; javardo, segundo o dicionário é "Que ou quem não mostra boa educação; que ou quem mostra falta de cortesia ou de delicadeza".
Sim, também existem, para todos os gostos e cores, dirigentes, treinadores, "assessores de imprensa" e outros que tais que não mostram boa educação e têm falta de cortesia. São efetivamente uns javardos. Todos. Qual a novidade?
Até pode ser que ser javardo seja condição para ter sucesso no mundo do futebol.
Sabem quem, entre outras pérolas, disse: "Tenho mau perder, tenho, assumo isso, muito mau perder, não sei perder. O (...) contratou-me para ganhar. Já quando ganho estou maldisposto, imaginem quando perco".
Acho um piadão a circunstância de uma tirada sem importância ter tanto destaque e fazer tanto cabeçalho; a quantidade de coisas interessantes que o autor da "javardice" disse e diz, a sobre diversos assuntos e a esse respeito nada... é também um retrato do "jornalismo" que vamos tendo, ele próprio muito javardo...
David Caldeira

Anónimo disse...

A paixão pelo futebol por vezes tolda-nos o descernimento.
Uma figura publica como o Sr Embaixador tem que evitar os comentários futebolisticos

Anónimo disse...

Sr Embaixador, porque se chateia ? Pegou o touro pelos cornos. Já agora, em pontas, o que é mais arriscado.

Maria Eugénia disse...

"Confesso que, de há muito, me desagrada bastante o modo como figuras de relevo do nosso futebol se comportam em público, dando mostra de uma imensa falta de respeito pelos adversários, servindo de exemplos negativos que ajudam à degradação do nosso futebol"
Concordo consigo, mas foi exactamente o que o senhor fez...

JN disse...

Com a mesma liberdade e legitimidade com que já elogiei diversos "posts" do Embaixador Seixas da Costa neste blog - que, digo eu, devia ser acompanhado por muitos "diplomatas de aviário" que andam por aí para aprenderem um bocadinho de história do mundo -, hoje, venho manifestar a minha mais profunda indignação e condenação pelas palavras ofensivas e inaceitáveis que o Embaixador dirigiu ao treinador do meu Clube, Sérgio Conceição, e, sobretudo, aos adeptos do FC Porto, onde me incluo orgulhosamente.
Acompanho regularmente e leio com muita atenção o que o Embaixador por aqui publica, habitualmente textos deliciosos, de uma escrita elegante como é próprio de alguém culturalmente sólido e acima da média. E foram, pouquíssimas as vezes que discordei. Hoje, não é assim...
Estou indignado, sinto-me ofendido e, também, fiquei muito surpreendido. Esperava tudo de mau de todos, menos de um Homem com a estatura e as responsabilidades públicas e políticas do Embaixador Seixas da Costa.
Foi um dia mau? Um momento menos feliz? E a retratação "poucochinha" foi feita num momento também menos bom? Ficava-lhe bem, Sr. Embaixador, um pedido de desculpa sério e sentido ao Clube, aos adeptos e ao Sérgio Conceição.
O FC Porto, porque "é filho de boa gente", sentiu-se e reagiu com muita dignidade em comunicado oficial.
Mas não ficarei admirado se o nosso treinador decidir dar-lhe a resposta que deu a um inenarrável eurodeputado do seu partido e de outra coloração clubista.
Conheço pessoalmente ambos. Na minha vida profissional entrevistei os dois. Do Embaixador fiquei com uma belíssima impressão. Do eurodeputado... o típico político sem espinha e agarrado ao tacho...

António Moreira disse...

Fomos contemporâneos no LNVR embora eu um ano ou dois mais velho.
Costumo ler com agrado a maioria dos seus textos, designadamente, os que contam estórias da Bila.
Mas, desta vez, não sei o que lhe passou pela cabeça para, como se dizia lá na nossa cidade, ajavardar com uma linguagem nada própria de um antigo diplomata. Repare na contradição que aponto usando as suas próprias palavras (de que retiro apenas três) "há muito, me desagrada bastante o modo como figuras de relevo--- se comportam em público, dando mostra de uma imensa falta de respeito pelos adversários, servindo de exemplos negativos que ajudam à degradação do nosso futebol". Chamar javardo ao treinador de uma equipa de topo será que contribui para a pacificação do futebol?
E tenho de ser sincero, acho a sua "explicação" muito frouxa. Falou em exagero de linguagem mas insiste numa outra forma de dizer quase a mesma coisa, quando usa a expressão "cave das Antas". Teria sido muito mais prestigiante para si e para o seu passado pura e simplesmente pedir desculpa.

Jose Correia disse...

António Moreira às 20:10 :

CORRECTO E AFIRMATIVO !

vitor disse...

Que o Sérgio é um javardo sem qualquer noção de fair play, facto do qual ainda gosta de fazer gala, são dois factos indesmentíveis. Logo não estou a ver como pode ter ficado ofendido. Quanto às declarações via Twitter cada um com as
suas. Ficam sempre com quem as pratica.