quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Mariza

A genialidade de Mariza foi premiada pela França, com a atribuição à cantora, através do meu colega francês em Lisboa, Pascal Teixeira da Silva, do grau de "Chevalier des arts et des lettres". 

Esta decisão do ministro da Cultura, Frédéric Mitterrand é um gesto que importa sublinhar. A voz de Mariza, bem como o nosso fado, já fazem hoje parte integrante do cruzamento de culturas que enriquece a diversidade francesa.

Para recordar a nova "cavaleira", aqui deixo o seu magnífico "Cavaleiro Monge".

4 comentários:

Jose Martins disse...

Senhor Embaixador,
Portugal e a Mariza de parabéns.
Dei o devido relevo em dois meus blogues lincando a sua peça.
Saudações de Banguecoque
José Martins

Julia Macias-Valet disse...

Ja "começamos" a contabilizar pontos para 2011 ; ) .... para a Imaterialidade Patrimonial : ))

Gosto mais de ouvir, do que ver cantar o fado, mas...no sabado so para me "contradizer" vou ver cantar a Mafalda Arnauth.

Anónimo disse...

Este post é motivo de orgulho pela distinção francesa atribuída à fadista Mariza e por ser entregue através do Embaixador Pascal Teixeira da Silva, um luso-descendente filho de pai português.

Isabel BP

Anónimo disse...

Há vozes, que são a Voz

Há vozes, que são a voz a escolhida
Penetram como a luz num hino à vida
Estacamos,anestesia aduzida louvar
Qualquer sombra seduzida a enlevar

Rememorando sonhos mais adormecidos
Sorrisos em sorrir catos protegidos
Divagações custo zero pasmam a sós
Marasmo desesperos laços e só nós

Voz molha como seca a dor sentida
Timbre profeta aleluia guarnecida
Brisa que seduz esmorece a guerra

É e não é uma diferença de género
Harmonia sensível o momento eterno
Mariza que aroma Voz,Deus em terra

Isabel Seixas