quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Futebol

Foi pena que Portugal e a Espanha não tivessem obtido ganho de causa na sua candidatura à realização conjunta do Mundial de futebol. A posição consistente dos dois países no "ranking" mundial justificaria essa escolha e, tudo o prova, teria sido um fator com impacto positivo para a economia - por muito que os arautos do pessimismo e da descrença tenham, por antecipação, anunciado as tragédias que por aí vinham com uma eventual vitória.

Há, no entanto, dois pontos que - agora pode dizer-se - nunca me agradaram muito neste projeto. 

O primeiro era o flagrante desequilíbrio aceite pela autoridades federativas portuguesas na distribuição dos jogos entre os estádios de ambos os países.

O segundo - e admito ser um preciosismo da minha parte - foram as referências feitas à "candidatura ibérica".

"Ibéria" é um conceito que, na minha perspetiva, não rima nunca com a singularização política dos dois Estados que habitam a península. Não é por acaso que esse é o nome da principal companhia aérea espanhola.

27 comentários:

Luís Bonifácio disse...

Concordo com tudo o que disse.

O que se passou em Zurique foi uma excelente noticia, coisa rara nestes dias que passam.

anamar disse...

Ë mesmo um preciosismo, meu amigo...
:))

Rubi disse...

Essa referencia 'a 'Iberia' tambem me fez ter pesadelos com os Filipes. Viva 1640! Contudo, acho que esta' bem entregue. A Russia precisa de construir estadios e melhorar as acessibilidades. Nos temos estadios do euro 'as moscas, e nao creio que trouxesse grandes dividendos a Portugal. Sem querer ser pessimista!

Anónimo disse...

Apesar de sentir orgulho quando Portugal organiza grandes eventos internacionais, desta vez estava a torcer para que a FIFA fosse para outras paragens (e foi mesmo!!!).

Mais uma vez, os espanhóis souberam salvaguardar os seus interesses (abertura, encerramento e jogos em todo o território, incluindo Badajoz), ao invés dos portugueses que aceitaram uma dezena de jogos confinados a Lisboa e Porto.

Como diz o ditado "meias, só para as pernas".

Isabel BP

Anónimo disse...

Castela tem destas coisas...mas há quem alimente este designio

Anónimo disse...

No Brasil as notícias que anunciavam os candidatos à organização do Mundial 2018, referiam sempre Inglaterra, Rússia e Espanha. Depois lá remediavam: "no caso da Espanha é em conjunto com Portugal".....

Realmente se nem no Brasil se lembram de nós....

patricio branco disse...

ontem, na "quadratura do circulo" a satisfação de não ter caido na iberia venceu por 2 a 3 a decepção. As opiniões dividem-se pelas duas posições, foi bom, foi mau, não ter sido a iberica?
De qualquer modo, as duas posições são legitimas e fundamentadas.
Só resta por esclarecer o papel escondido que tinha o TGV nisto tudo

patricio branco disse...

Acho que IBERIA é uma palavra bonita, tal como BENELUX ou paises nórdicos. É uma realidade geografico-cultural despolitizada, desde os tempos romanos.

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Patricio Branco : pois eu nao acho.

patricio branco disse...

Caro FS da C, refere-se à candidatura portugal-espanha e não termos conseguido ou ao termo Iberia?

Anónimo disse...

Bem, Snr. Embaixador, muito bem! Pena é que que não tenha achado oportuno dar voz pública à sua opinião, em tempo útil. Diz o essencial, mas justamente por isso, era necessário dizê-lo a tempo de evitar o desastre que seria, para a visibilidade de Portugal no Mundo, este tal campeonato, em que quase tudo se passava em Espanha e o próprio logotipo remetia para a bandeira "oro rubro".
É o que acontece quando se permite que um saloio empertigado tome iniciativas que vão muito para além do futebol, sem a necessária supervisão e enquadramento.
Mas, afinal, a tal Secretaria de Estado anda a pensar em quê? Na Coreia do Norte...???
Para vergonha de toda a classe política portuguesa, só o director do DN pôs o dedo na ferida e chamou os bois pelos nomes, em 2 editoriais daquele matutino que, contudo, nunca poderiam, só por si, alterar o que estava em marcha.
Por uma vez, valeu-nos a Rússia...!
Cordiais cumprimentos,

A. Costa Santos

Anónimo disse...

Também gosto da palavra Iberia, mas para viajar a bons preços... :)

Isabel BP

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Patrício Branco: Referia-me a Ibéria. Lembre-se do conceito de "iberismo" e do que isso significa. Politicamente, claro.

Anónimo disse...

Em férias, passei por Bragança - lá descobri um Castelo abandonado, e notei, aquele parecia o guarda ...então chefe... é o guarda do Castelo, perguntei-lhe - resposta? - Eu (ele) estou a guardar os espanhois, ao fundo está a vêr - e há uma coisa que eu sou - é Benfiquista e Soarista.

Palavras para quê, disse para comigo.


Já lá vai 30 anos e não me sai da cabeça aquele Transmontano que, estava a guardar os Castelhanos... se calhar, com receio que lhe dessem o fanico.

César Ramos disse...

... como diria a actriz Marina Mota, "já nos safemos..."!

De facto, IBERIA é um nome bonito, mas só e apenas para uma certa Companhia de Aviação Comercial.

Cumprimentos,
César Ramos

Helena Sacadura Cabral disse...

E se a Russia nos comprasse uns dos vários estádios que já estão à venda?
Matávamos dois coelhos de uma só rajada...

Anónimo disse...

oh! Abrenúncio...
Isabel seixas

patricio branco disse...

Iberismo já é outra coisa, um termo algo ameaçador, soturno, qase uma doutrina e clube de conspiradores.
A propósito do mundial, não me admirou ser a russia a escolhida, o que me deixa confundido é a escolha do qatar. Porquê, ponho me a pensar?

patricio branco disse...

(se) de uma rajada é a maneira actual de dizer de uma só cajada, pois está bem adaptada para os novos tempos a expressão, que gostei de conhecer através de HSC.
de facto, cajadada é uma palavra que deve estar a desaparecer dos dicionários

Patriota mas não patrioteiro disse...

Admiro Antero também pelo seu iberismo.
Basta de apagada e vil tristeza, mais humilhante ainda depois da União Europeia.

cunha ribeiro disse...

Sr Embaixador,
nacionalismos à parte, será que a Rússia não DEVERIA ser o vencedor?
É o princípio da divisão do bem pelos países equipolar ao da "divisão do mal pelas aldeias".
A Russia nunca organizou um evento destes. Logo...

cunha ribeiro disse...

Magnífico e certeiro o comentário de Helena Sacadura Cabral...

Luís Bonifácio disse...

Caro Patricio Branco

A melhor maneira de estarmos bem na peninsula é:

"Cada macaco no seu galho"

Nos ultimos anos os "Hermanos" parecem não estar contentes com o seu.

patricio branco disse...

Sim, pelo menos enquanto tivermos galhos, pois vão ardendo muitos todos os anos.

Anónimo disse...

O MEU OBRIGADO AO COMITÉ FIFA!...

Mesmo não passando de uma metáfora, o chamado "país real", respirou de alívio por o haverem poupado, nesta altura completamente ao arrepio da penúria nacional, de mais este elevado encargo, caro, enquanto preço a pagar pelo exercício de algumas vaidades públicas e tentativas de adiar futuros mais que certos de alguns políticos!...

Quem pôde ver a cara do Sr. Madaíl no acto do anúncio oficial da chamada derrota portuguesa, percebeu ainda o que aquela decisão nos poupou também de uma penosa situação de "mais do mesmo" na Direcção da FPF!...

Com os meus cumprimentos, caro Embaixador.
João Queiroga

Manuel Alves disse...

De facto, há problemas que se resolvem por si Este foi um deles. A grande ideia da candidatura à organização do Mundial de 2018, saída da cabecinha do senhor Madail, acabou por fazer caminho, foi andando, porque quem devia não teve a coragem politica para a contrariar desde o início. E alguns desses lá foram a Zurique fazer discursos e cara alegre na esperança de que, como aconteceu, não passasse... Que pena a Ibéria, ou seja, Madrid, não ter ganho...

sara disse...

a diferença só está em que os espanhois sabem que vivem na península iberica e os portugueses não. e os que sabem valorizam mais expressões como europa, atlãntico etc e tal.
a empresa portuguesa EDP é a dona da Iberocantabrica. Cantabria porque é o serviço dela ibero engloba Portugal e o resto da Espanha.
já há quem saiba que somos ibericos.