sábado, 18 de dezembro de 2010

Duhamel

Alain e Patrice Duhamel são duas figuras de relevo do mundo audiovisual francês. Com um percurso na rádio, na televisão e no jornalismo que não esteve isento de polémicas, algumas bem fortes, estes dois irmãos simbolizam, de certo modo, um estilo de jornalismo que não pode ser indiferente a quem se interessa pela vida francesa.

Há dias, saiu um livro em que os dois Duhamel são entrevistados no Renaud Revel. Embora, por vezes, entrando num detalhe de "name dropping" um tanto complexo para um leitor fora do meio ou que por França não viveu nas últimas décadas, essas conversas são um percurso fascinante pelo mundo das relações entre os políticos e o jornalismo, desde os tempos de Giscard d'Estaing até à atualidade, com referências muito curiosas a diversos momentos anteriores. Um livro muito útil.

5 comentários:

Julia Macias-Valet disse...

"Um livro muito util." Para quem e porquê ?

Pessoalmente, nao gosto do estilo do mano Duhamel que esta em segundo plano. Enerva-me aquela carinha de ""premier de la classe" quando faz as perguntas aos Presidentes da Republica. Mas deve haver quem goste...
O mano da frente...nao sabia que era mano do que esta la atras...e a bem dizer nao o conheço. Ou se calhar conheço...sem saber que conheço.

Uhmm...acho que a Agatha Christie nao ficaria muito contente com este "pelagio de titulo" : (
Jornalistas e tao pouco originais...pffff.

Anónimo disse...

Oh! Júlia
Não é que vim imbuída do mesmo espiritismo de contradição, face `a utilidade, peço desculpa sr. Embaixador. mas posso falar antes dos benefícios da atividade física durante o exercicio de funções profissionais elemento potenciador dos niveis de produtividade e inibição de sintomas de desgaste como o neuroticismo tóxico ...

Pronto!...
Vou andar a pé
Isabel Seixas

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Júlia: para mim, por exemplo, porque me ajuda a entender melhor a complexidade de um "sistema" que, normalmente, só avaliamos pelos sintomas.

Boas Festas!

Julia Macias-Valet disse...

Sempre gostei de pessoas que respondem de forma : curta, precisa e concisa às perguntas : )

Fiquei esclarecida.
Ou seja, se bem compreendi, para si a leitura deste livro sera (mais) um exercicio aplicado sobre a Teoria da Complexidade de Edgar Morin ; ))

Boa leitura e obrigada pelas Boas Festas.

Anónimo disse...

Claro que o registo de promoção de literacia e atitude pedagógica de quem conhece e dá... A conhecer é sempre enternecedor e de louvar.

Agora quando nos é facultada uma análise idónea, para que comprar o livro? Pessoalmente não tenho alicerces para essa construção.

Achei bonito os SRs Manos numa de fraternidade redigirem juntos, fica-me a curiosidade dos consensos e discensos.

Saudações Natalícias
Isabel Seixas

De qualquer forma não teria a quem oferecer esse livro, até porque o Sr. já o comprou e as minhas referências preferem a Doutora Helena Sacadura Cabral, depois do Sr. Claro, mas os seus livros estão esgotados.