terça-feira, 12 de outubro de 2010

"Portugal atrás da Alemanha na eleição para o Conselho de Segurança"

Não tenho a certeza absoluta de que algum jornalismo adversativo não seja tentado a roubar-me o título deste post. Pelo sim pelo não, ele aí fica, para sua inspiração.

Não consultei ainda os blogues, não li ainda os colunistas da pandemia pessimista, não conheço as declarações de elogio forçado de alguns setores, decerto já ouvidos pela imprensa. Mas eles virão, podem estar seguros! - os comentários raivosos do género do "não sei por que razão se gastou dinheiro com esta eleição para o Conselho de Segurança", ou "aquilo em que Portugal se deveria empenhar internacionalmente era noutras coisas" e dichotes idênticos.

Uma das razões pela qual Portugal teve toda a razão para se bater para estar presente no Conselho de Segurança é precisamente pela necessidade de afirmar que existe um outro país, positivo e otimista, que tem sabido garantir a continuidade de uma imagem externa do país, construída com saber, rigor e coerência. Um país que está muito para além das legiões dos "vencidos do ceticismo".

13 comentários:

Anónimo disse...

bendito seja!

patricio branco disse...

Não é bom transformar isto num jogo em que vencemos a alemanha ou o canadá que foram derrotados. Uma espécie de david contra golias. Não vencemos nada, todos os 3 se ofereceram com o mesmo propósito de servir a comunidade internacional através do cs das nu e quem lá ficou tambem lá fica em nome dos outros dois.
De saudar tambem a eleição da colombia, país que luta internamente contra o terrorismo e o narcotrafico e aguenta tudo isso e muito mais, como o errático vizinho que tem.
E que se reforme o cs incluindo mais 2 ou 3 membros permanentes, que o mundo mudou muito desde 1945.

Helena Oneto disse...

OPTIMA notícia! A diplomacia portuguêsa está de Parabéns!

Anónimo disse...

Espera-se que o Sr. Ministro das Finanças compreenda quais são os Ministérios "rentáveis" (i.e., aqueles que apresentam resultados), e se consiga evitar um corte radical de verbas para o MNE...

jose albergaria disse...

Muito bem.
Se estivéssemos numa Assembleia, diria, alto e bom som, apoiado!
JA

Anónimo disse...

Parabéns! Bom trabalho, aquele que nos bastidores foi feito para assegurar esta vitória diplomática. Valha-nos isto!
P.Rufino

Fernando Frazão disse...

Tem o sr. Embaixador toda a razão.
Esse país de que fala foi ontem retratado no programa Prós e Contras da RTP1 por Jorge Sampaio e sobretudo por Henrique Granadeiro.

O PSICOALPINISTA disse...

O Portugal vencer o Canadá está no Frankfurter Neue Presse com origem na "dpa" em:
http://www.fnp.de/fnp/welt/politik/portugal-schlaegt-kanada-im-rennen-um-sicherheitsrat_rmn01.c.8319745.de.html
Sabe-se lá porquê?

Anónimo disse...

Para o neto.

Gostei desse "portuguêsa"...

Assim não vamos lá...

Acordos para...

LP disse...

É natural que a história se repita em vozes do "Velho do Restelo". Mas, há que ter a capacidade e força para enfrentar os ventos contrários, porque os vai haver concerteza.

Na minha opinião, tudo o que seja a favor da estabilidade e harmonia social, é bem-vindo!

Helena Sacadura Cabral disse...

Senhor Embaixador não precisa de ler os "comentários raivosos" nem os "dichotes idênticos", porque eles não afectam o seu optimismo.
Abençoado seja o seu labor em prol de "um país que está muito para além das das legiões dos vencidos do ceticismo".
Legiões? Ó Senhor Embaixador, que pessimismo. Não chegamos a uma dúzia.
:))

Francisco Seixas da Costa disse...

Cara Dra Helena Sacadura Cabral: quem nos dera que todos os pessimistas de servico tivessem a sua alegria de vida. Eu, como otimista "profissional" (o que sao os diplomatas senao isso...), ainda por cima convicto (reconheco, somos os mais "perigosos"), recuso-me, em absoluto, a "medinacarreirar" o meu quotidiano. "Nao se pode extermina-los?" devem perguntar (em ingles oxfordiano) alguns especimens que tiveram o azar geografico de nao terem como berco de nascimento (embora o tivessem como pasto de eterna nostalgia) o Saint Anthony's College...

Helena Sacadura Cabral disse...

Ai! Senhor Embaixador se há algo que ainda hoje me perde é a inteligência, o humor, o savoir faire, enfim...a classe! Chapeau!