terça-feira, 26 de maio de 2009

Vinho do Porto

Há semanas, estive na apresentação em Paris de um vinho do Porto rosé! É verdade, o "marketing" imaginativo do Porto já vai por esses caminhos, embora presuma que isso possa incomodar alguns puristas.

Confesso que não me preocupa nada que se possam descobrir novas fórmulas que nos permitam vender o nosso vinho, desde que se tenha sempre a qualidade como permanente referencial.

Em França, o vinho do Porto continua como um forte emblema de Portugal, com a curiosidade de ser servido Porto "doce" antes das refeições, ao contrário da maioria dos países, onde o Porto "seco" abre os repastos.

Deixo-lhes um som sobre o vinho do Porto, da autoria de Carlos Paião, pelos Donna Maria, para além de uma foto do Douro, região que, no segundo semestre, a Embaixada de Portugal em Paris vai promover com algumas iniciativas.

4 comentários:

Anónimo disse...

Vinho do Porto Rosé! Desconhecia, confesso. Se me é permitida a pergunta, de que Casa ou Quinta? Divido-me entre ser purista, ou ir no “marketing”. Que o Espumante possa ser Rosé, sou inteiramente favorável (já o tinto Rosé, nunca provei um que tivesse qualidade…de acordo com o meu humilde palato, naturalmente – se calhar, quem sabe, estarei enganado, até aparecer um). Deste modo, vou tentar “despir-me” de preconceitos (que os tenho no que respeita ao Porto e mesmo Madeira) e provar, para depois me pronunciar. Porto Rosé seco, ou doce? Sendo uma “aventura” arriscada, essa do Porto Rose, acredito, todavia, que quem “se mete” por esse caminho e “atreve-se” a uma prova em Paris, deve saber o que está a fazer. Afinal, é um “território” exigente, no que respeita a vinho (e outras coisas com ele relacionadas), mesmo do Porto. Dou, pois, o benefício da dúvida. E vou provar. Existindo, ou mantendo-se o mais importante, a qualidade, até, quem sabe, pode vir a ser um caso de sucesso. Numa altura de crise, como a que se vive, temos muita necessidade de casos de sucesso. Lá isso temos. Curiosamente, a Revista “Wine essência do vinho”, que está sempre atenta a estas coisas de vinho, ainda não abordou a questão.
Ah, e que bela fotografia esta do Post! Tenho uma enorme paixão pelo Douro. Pelo que significa, pelas suas deslumbrantes paisagens, por ter passado tantos anos da minha juventude ali, por tantas razões! Um bom tema este, Embaixador. Sempre a surpreender-nos. É assim que se faz um Blog interessante!
P.Rufino

maloud disse...

Está a falar do Pinky, sr.embaixador? Eu tive o privilégio de estar na ante-estreia em petit comité e achei a cor fabulosa.

Fenêtre du Portugal disse...

Vinho do Porto rosé, porque nao, desde que evidentemente, nao seja "cortado"...
http://www.coupernestpasrose.com/petition.php?rub=signer

Mario

Modesto Junqueira disse...

Junqueira (Escanção)
O vinho do Porto Rosé, vem, no meu entender, ocupar um espaço que estava em aberto dentro dos vinhos do Porto.
Mas não podemos nem devemos ocupar o espaço, com este vinho do Porto, destinado aos já tradicionais vinhos do Porto.
Digo isto, porque em muitas ocasiões, quando se fala de vinho do Porto lá vem sempre a garrafa do Porto Ruby ou quando muito a garrafa do Porto Towny.
Pois Portos São: Os Vintages, Os LBV, os Colheita e dentro destes os Garrafeira, os Portos com indicação de idade ou seja: 10, 20, 30, ou mais de 40 anos, os Crusted,os Reserva ou Reserve para o Porto Branco ou Tawny e do lote a efectuar para o Ruby.
11 de Outubro de 2009