quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

UTAD

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) faz 25 anos da sua existência.

A UTAD é a universidade de Vila Real, a terra onde eu nasci. Fruto da feliz conjugação da iniciativa de entidades locais - e gostava de distinguir aqui, por elementar justiça, a figura do Engº Manuel Cardoso Simões - com um conjunto de personalidades que haviam tido já um percurso académico nas antigas colónias, a ideia de criar uma estrutura de ensino superior na capital transmontana conseguiu vingar no seu caminho e garantir um espaço de afirmação que, anos mais tarde, veio a consagrar-se na criação da atual universidade.

Muita água passou, entretanto, sob as pontes do rio Corgo. A UTAD evoluiu, transformou-se, cresceu e prestigiou-se, em especial em algumas áreas em que a sua massa crítica soube firmar-se com qualidade. A UTAD criou e agregou a si novos docentes, num conjunto muito alargado de valências especializadas. Dela saíram quadros técnicos de grande valia, hoje espalhados pelo país. Com universidades estrangeiras, a UTAD soube criar importante parcerias de cooperação. 

A UTAD não ficou imune às crises que a vida universitária portuguesa atravessa, elas próprias reflexo do que se passou na generalidade do país. A meu ver, a UTAD tem perdido algum tempo face à inevitável necessidade de vir a redimensionar-se à luz desse novo cenário. Essa perspetiva foi por mim claramente transmitida, tal como por muitas outras pessoas que aí desinteressadamente colaboraram, durante os anos em que chefiei o Conselho Geral da UTAD.

A cidade de Vila Real deve imenso à UTAD. Sou de opinião de que a cidade não soube até hoje criar - e interessa-me pouco saber quem terá a maior quota-parte de culpas - um laço adequado com a sua universidade. Uma coisa me parece evidente: a cidade de Vila Real não seria a mesma sem a UTAD.

Parabéns à UTAD e a quem hoje a compõe, uma casa onde deixei amigos e cujo futuro continuo a seguir com atenção.   

3 comentários:

Isabel Seixas disse...

Subscrevo o post e reforço os parabéns à UTAD.

Rui M. Alves da Silva disse...

Eu compreendi o desinteressado, só não acredito, temos sempre um interesse, nem se pauta pela elegance habitual. O resto, só tenho a aproveitar, já que nunca o fiz, para congratular o autor. É um privilégio. E agradecer.

Anónimo disse...

Parabéns à UTAD. Passei por lá algumas vezes. Durante alguns meses fui a Braga e privava na casa da Professora Maria Augusta Lima Cruz. Ela dava aulas na Universidade, e tinha um brio em tudo o que preparava para os seus trabalhos, que me leva a crer que há gerações de alunos que ali foram muito bem preparados para a vida. Segundo ela, o corpo docente era mesmo muito bom. Depois ouvi dizer que a "crise" está a afastá-los da Universidade. Se assim é, que pena! Aquele projecto tem de continuar, com a vinda de alunos de outras partes do globo, porque o local não fica nada aquém dos lugares aonde estão algumas universidades muito conhecidas.