sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

O cônsul honorário

Notei que o homem estava agitado. Pensei, contudo, que esse nosso Cônsul Honorário, numa remota cidade num país francófono do "Sul", cujo nome esqueço, vivia apenas o nervosismo de ter a visita de um membro do governo português, a cuja comitiva eu pertencia.

A certo passo, o Cônsul queixou-se-me:

- O nosso Embaixador bem me podia ter avisado com mais antecedência. Só ontem me disseram que vinham cá dormir. Não tive tempo para preparar nada de jeito.

Sosseguei o homem e disse-lhe que estava tudo a correr muito bem, desde o encontro com as autoridades locais até à receção com os escassos portugueses residentes. Só o bizarro hotel (de cujo pátio podem ver uma foto verdadeira), de arquitetura de todo improvável naquelas paragens, com as banheiras cheias mas sem água corrente nos quartos, é que deixava muito a desejar. Mas, que se havia de fazer!, era o único da cidade.

O homem, no entanto, continuava inconformado. E insistia:

- É que eu podia ter preparado uma coisa bem mais agradável, se tivesse sabido com mais tempo.

Procurei acalmá-lo:

- Mas está tudo impecável! O que é que você podia ter feito mais?

- Ó senhor doutor! Com tempo, eu tinha preparado em minha casa um programa "de truz" para os senhores, com umas "garinas" magníficas, tudo "material" garantido e sem problemas. Mas não me avisaram! Isto não se faz!

De facto...

14 comentários:

Anónimo disse...

"Tudo "material" garantido e sem problemas..."In FSC(2011)

De facto, vá-se lá saber a paisagem mental que sustenta uma afirmação destas, com que valores e códigos foi erigida...

Na minha vida...

Agora...Que é curioso, oh! Se é...
Não vejo porque não!...
Isabel Seixas

Armenio Octavio disse...

Devo ter lido mal ou interpretei mal.

Programa de "TRUZ" com "Garinas"...

Apenas inacreditável.

Como está a nossa sociedade?

Qual seria a posição "da comitiva" caso tivesse havido tempo?

Eu devo andar enganado neste mundo...

Margarida disse...

Não me tente, não me tente...

Anónimo disse...

Isto há cada Pirilau!
P.Rufino

Anónimo disse...

O final é magnífico... Pobre cônsul honorário que não pôde arranjar um programa com a criatividade desejada para tão ilustre ocasião!

Na volta as "garinas" ainda, eram emprestadas, pelo Berlusconi!

Isabel BP

patricio branco disse...

poderia ser um hotel num país árabe, siria, jordânia, egipto, marrocos.
Mas não estou a perguntar onde foi (o consul honorário).
Em certos países existia (existe) uma ideia da hospitalidade que incluia (inclui)a oferta de serviços e "material garantido, sem problemas" possivelmente de acordo com as normas da ASAE local...
"Cenas da vida diplomática".

Guilherme Sanches disse...

Digamos que seria um Consul honorário vivendo consolado no Consulado. Num país onde haverias boas frutas...


Um abraço

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Arménio Octávio: nada do que contei autoriza a presumir uma reação positiva, no caso de estarem criadas as condições para o "programa" proposto.
Pode ser que seja sorte minha, mas devo dizer, com toda a sinceridade, que, enquanto funcionário diplomático, nunca testemunhei, da parte de nenhum político português que tivesse acompanhado pelo mundo - e visitei várias dezenas de países nessas condições -, com governos muito diversos, qualquer comportamento que pudesse ferir a imagem que um representante do Estado tem obrigação de manter no exterior. Embora também tenha a certeza de que alguns foram bastante tentados a tal... o que só "glorifica" a sua contenção.

Helena Sacadura Cabral disse...

Ai! Senhor Embaixador que grandes vantagens trouxe à moral nacional, a abertura da carreira diplomática às mulheres...
A elas, ninguém se lembraria de incluir uns garinos. Até nisso somos descriminadas...
:-))

Julia Macias-Valet disse...

Snif...snif ! Impressao minha, ou anda no ar aroma de conhaque e nevoeiro de charutos ? ; )

Anónimo disse...

"Presumir uma reação positiva,"...
In FSC

E eu que considerei desde logo a "reação" como positiva , até nos domínios da prevenção de comportamentos de risco, de teste ao autocontrole, evição de DST, Maturidade diplomática Snob e protocolar...

Apenas diferença no estilo de comemoração. Há simplesmente quem
prefira e aufira de sonolência em desejos recônditos...

Pois é , pois é, sim senhor...
É Freud...
Isabel Seixas

Anónimo disse...

"O que só "glorifica" a sua contenção".IN FSC(2011)

Ai só!!!!...
Como se Suscitar o fenómeno não fosse per si suficiente...

Na minha vida...

Pfff...
Isabel Seixas

Oh! Margarida ... Claro!
Cá pra nós...AI, AI

Santiago Macias disse...

Só me ocorre uma pergunta, que decerto também lhe passou pela cabeça: "então, e se tivessem avisado com tempo?". Não imagino o embaraço.

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Santiago Macias: tem dúvidas que o sentido de Estado vem sempre ao de cima?