terça-feira, 28 de maio de 2019

Vila Irreal


Deixei de ir a Vila Real por duas semanas e, olhem!, deu nisto.

13 comentários:

Luís Lavoura disse...

Isto é o quê? O mapa de avisos meteorológicos para os próximos dias?

Anónimo disse...

Olhando para o mapa parece que o PC limpou isto.

Já agora, o caríssimo embaixador acha que as ilhas não fazem parte de Portugal?

José Figueiredo disse...

Parece que felizmente o mesmo não aconteceu nos lugares por onde andou...
José Figueiredo
Braga

Anónimo disse...

A Madeira também continuou laranja.

Reaça disse...

Ainda há transmontanos propriamente ditos.
Haja Deus!

Anónimo disse...

Caro anónimo, Vila Real fica nas ilhas?
Maniazinha da perseguição......

Agostinho

José Manuel Silva disse...


"Para cá do Marão, mandam os que cá estão"...…….

Jorge Silva disse...

Bem, por via das dúvidas, o senhor Embaixador fica "intimado" a passar o mês de Outubro em Vila Real.
Cumprimentos

aamgvieira disse...

Realmente os portugueses "merecem bem" os resultados, estiveram-se nas tintas para certas situações graves em que o Costa assobiou para o lado:

-Ir de férias quando o País mais precisa
- Não saber, passados 2 anos, o que se passou em Tancos
- Menosprezar o caso de Borba
- Infindáveis nomeações de familiares
- Serviços públicos mínimos , carga fiscal máxima

Calculem se fosse o PSD, estavam fritos

Francisco de Sousa Rodrigues disse...

Até no concelho das Caldas o PS ganhou!
Parece que na UF onde resido, que inclui uma freguesia urbana e outra rural, a vitória foi esmagadora. Cá de casa foram 2 votos!

Francisco de Sousa Rodrigues disse...

Caldas da Rainha.

António disse...

Essa do Guronsan foi de muito mau gosto. Não esperava.

Anónimo disse...

O seu Leitor AAMGVIEIRA tem razão naquilo que refere. E digo isto, com toda a imparciabilidade, visto ter posturas políticas diferentes. De facto, se António Costa fosse como Jorge Coelho (ou António Vitorino, ou Murteira Nabo, curiosamente todos do PS), que se demitiu após o acidente da Ponte de Entre-os-Rios, num acto de grande nobreza - convém sempre sublinhar ao compararmos com os dias de hoje - onde morreram mais de 70 pessoas, se a memória não me falha, ter-se-ia demitido, no dia 16 de Outubro de 2017 (ou, não sendo caso, o PR tinha a obrigação de o demitir!), após a "segunda leva" de incêndios, que, no total levaram a que tivesem falecido umas 110 pessoas! Por ocasião do primeiro grande incêndio, uns meses antes, morreram umas 68 pessoas e Costa manteve-se em férias, no Quénia, não as interrompendo. Depois, em meados de Outubro, quando era suposto a prevenção ter evitado e limitado a tragédia que acabou por vir a acontecer, onde voltaram a morrer quase 50 pessoas (eu estava lá nessa ocasião, para azar meu, mas que me permitiu ver e sentir toda aquela tragédia, na verdade inconcebível), o mínimo que se esperaria era que Costa, dignamente apresentasse a sua demissão ao PR - o que não significaria que o Governo tivese de cair e novas eleições tivessem lugar, tão só o PS teria de encontrar um substituro a António Costa.
As grandes figuras políticas são feitas de uma massa muito especial, que não é aquela de que é feita António Costa. Não ter coragem para se demitir naquela altura, assumindo a responsablidade política do que aconteceu e que foi muito grave, diz tudo deste nosso PM. É por isso, que a Política por cá não é apelativa. Sobretudo no que respeita aos 3 do Arco da Governação: PSD/PS(CDS.E depois queixem-se das abstenções!
a)Jorge Albuquerque