domingo, 5 de maio de 2019

Será hoje?

Depois do que há pouco disse Assunção Cristas, será este o dia em que vamos assistir ao recuo da direita parlamentar face àquilo que anunciou ter aprovado, em conluio com a esquerda desrespeitadora dos compromissos europeus? Se o fizer, e para disfarçar essa mudança de posição, aposto que isso será feito a coberto de um forte ataque ao governo, tentando fazer esquecer que este não foi havido nem achado na altura do entendimento feito. O governo até pode vir a acabar por não ter razões para se demitir, mas uma coisa será sempre certa: a oposição de direita, mesmo que venha a recuar, já deu, perante os portugueses, a prova provada de que se demitiu das suas responsabilidades de Estado e de que só reagiu perante o escândalo criado.

9 comentários:

Anónimo disse...

Não sei por que insistem tanto em direita e esquerda, político é tudo igual. A ideologia está no bol$o deles, e o jornalismo ainda debate essa farsa!!!

Anónimo disse...

A argumentação de CC é extraordinária. É a demagogia e a hipocrisia levada ao extremo. Originalmente de tendência democrata cristã o CDS está hoje no extremo oposto da actual doutrina social da Igreja e, pela oposição primária, mesmo infantil que faz está a transformar-se num partido populista e desceu ao nível mais baixo d s ética. Veja-se O comportamento repugnante de Nuno Melo no debate sobre as eleições europeias. É lamentável e nada tem a ver com o CDS original
Fernando Neves

Anónimo disse...

Wishful thinking ?.

Carlos Diniz disse...

Caro embaixador
Essa esquerda desrespeitadora dos compromissos europeus não é mesma a que o seu partido pertence quando aprova a resolução da Assembleia da República nº1/2018, que recomenda ao governo a contagem de todo o tempo de serviço para efeitos de progressão na carreira?

Lúcio Ferro disse...

Em suma, enfiaram a viola no saco, até o "comentadorismo" televisivo de direita lhes malha em cima e Costa deve estar a rir-se à gargalhada. É bem feito e totalmente merecido, que lhes sirva de lição para a próxima manobra demagógica e daí, talvez não, o que talvez não seja mau para o futuro de todos nós.
Cumprimentos, senhor embaixador.

arber disse...

1 - Rui Rio acusou António Costa de mentir sobre o assunto da contagem integral do tempo de serviço.
Se tivesse bons assessores e conselheiros, em vez de gente berrona como a sua deputada Mano, responsável pela aprovação da provocação, teria tido acesso a esta reportagem da SIC, em Novembro de 2017:

https://sicnoticias.pt/pais/2017-11-15-Uma-coisa-e-repor-o-cronometro-a-contar-outra-e-recuperar-o-tempo-perdido

2 - Rui Rio acusou António Costa de estar a fazer teatro, e até descreveu os vários actos do dito.
Mas esqueceu-se do último, de natureza cómico-dramática, representado por ele próprio, quando ao "ultimato" de António Costa, responde com um seu, que deve ter posto meio país a rir à gargalhada: ou aprovam as nossas condicionantes, ou votaremos contra a (nossa) proposta de contagem do tempo!
Verdadeiramente fantástico, este ultimato contra si próprio! Como diria o outro "e esta hein?".

Anónimo disse...

Neste parecer não posso, não sei acompanhá-lo. Minha interpretação difere substancialmente, quero dizer, quanto à responsabilidade a atribuir à confusão entretanto instalada e que pode ser aferida se cronologicamente pautarmos quem fez e disse o quê. Obviamente que a categorização onde entram os factos, a metodologia, pode tornar-se também objeto de discussão, e de fértil discussão. Mas já me estou a evadir do que queria dizer simplesmente e parece que estou, estarei mesmo, a deambular pela vaidadezinha que é uma vergonha. Mas fica assim mesmo tudo registado, por afeto e admiração para com este blogue.

Francisco de Sousa Rodrigues disse...

O Sr. Embaixador não espere grande coisa da dita senhora, porque coerência não abanda para aqueles lados.
Responsabilidade para a nossa Direita é mais para justificar a implementação de política de 24 de abril, como foi a dos idos de 2011-2015.

Anónimo disse...

Assunção Cristas e Rui Rio , perderam a cabeça ? Assumir um disparate seria uma prova de inteligencia , mesmo sabendo da alhada em que se meteram e a que sujeitavam o país . Voltar com a palavra atrás ... nem as crianças ( bem formadas , claro ) dum jardim de infância .
Já contabilizaram mentalmente , quantos votos perderam ? Que decepção ...