quarta-feira, 29 de maio de 2019

Cobranças

Num país em que um grande devedor à banca pública passeia impunemente a sua arrogância pelo parlamento, ter brigadas pelas estradas para cobrar pequenas dívidas fiscais é um ato de incompreensível e escandaloso autoritarismo.

2 comentários:

Anónimo disse...

Principalmente porque a AT pode, com um simples pedido por via electrónica remetido para a conservatória do registo automóvel, fazer as penhoras de veículos. O que se passa é que alguém se sentiu no direito de enxovalhar os devedores. Nunca tinha visto estes tiques de autoritarismo, e seria bom identificar o autor de semelhante ideia e saber por que razão o comandante da GNR (e também se deveria saber a identidade) achou que essa força militar se deveria prestar a semelhante papel. Por estas e por outras quando fui votar no domingo votei em branco. Já não me revejo no PS, cujo governo pode até ter posto termo à acção da AT, mas que permitiu que se criasse um clima em que a AT pensa que vale tudo.

Anónimo disse...

O problema com a AT é a assimetria de relações entre o Estado e o povo. Como chegámos ao ponto do povo temer o Estado? O Estado é muito mais o povo do que a AT ou qualquer Governo. Ainda temos um Tribunal Constitucional?