quinta-feira, 8 de novembro de 2018

O mundo avança

Há algumas décadas, as sufragistas eram consideradas umas tolinhas por lutarem pelo voto feminino. Há não muitos anos, Ribeiro Telles era visto como um lunático por tentar colocar na agenda política as questões ambientais. Há três anos, muita gente sorriu, condescendente, ao ver o PAN entrar na Assembleia da República. O que dirão no futuro?

4 comentários:

Rui C.Marques disse...

"Eles não sabem nem sonham (…)"

Ana Vasconcelos disse...

Ora aí está!

Anónimo disse...

Quem é mais civilizado os chineses que comem cães ou nós que comemos cabritos?
Deus foi muito injusto: limitou-nos a inteligência mas não a hipocrisia!

Anónimo disse...

Lido.

Despacho:

Todas utopias tornam-se exequiveis com o tempo.

Há utopias no entanto que para serem implementadas teem que destruir a vizão do mundo antigo para implementar a nova vizão. Veja-se o que se passou na Rússia há cem anos.
Mortes e revoluções não justificam nunca a passagem violenta para medhor. Nem a revolução francesa pode justificar as guilhotinadas cegas.
A verdadeira passagem de uma visão do mundo para outra tem de ser ao nível das mentalidades e nunca ao nível da morte de vidas.
Se a democracia ocidental não for assim nunca será NADA.