quarta-feira, 8 de agosto de 2018

Palermas

Já alguém pensou em lançar uma campanha de civilidade explicando que quem fala ao telemóvel em público, obrigando os outros a ouvirem as suas desinteressantes conversas - para a família, os colegas ou para o diabo que os carregue -, são apenas uns saloios mal-educados, uns energúmenos deslumbrados por um aparelho que acham que lhes dá estatuto, e que, no fundo e apenas, não passam de uns palermas? 

Quem por aqui me lê e se acaso assim procede quando está nos cafés e restaurantes, em salas de espera, nas praias, nos comboios e autocarros e em outros locais públicos deve “enfiar a carapuça”, porque isto também é eles, desculpem lá!

10 comentários:

Anónimo disse...

O normal em Portugal e em praticamente todos, mas não todos, os Países.
Depende da educação de cada um.

Anónimo disse...

O TLM veio afinal mostrar como afinal há tanta falta de educação, de respeito e de alarvidade. De algum modo, o Facebook também veio a revelar a necessidade de alguém se expor, de forma estúpida e cretina, na maioria das vezes. Como no Twiter, Instagram, etc. A necessidade de as pessoas se esporem é algo obsceno e alvar, que choca. As pessoas acabam por revelar como afinal são tão frágeis quer no que respeita à educação, quer em quase tudo. Uma sociedade de acbotinos. Não só aqui, mas por todo o lado. Uma tristeza de gentinha!

Anónimo disse...

Se o telemóvel lhes dá estatuo social estou mesmo tramado ou bem identificado. O meu é dos antigos, finladês, oferecido, e existe apenas para utilizar em casos de emergência e está sempre [sic] desligado.
Sou mesmo um "cobarde" e um não-politizado... Um "out sider".
WOW..... ganhei o dia.

Anónimo disse...

O Tiago, o Dani, O Gonçalo e a mãe do pai destes três que achava que a forma de eles se comportarem em casa dela era uma chapada na cara, que não, que não, que eles eram pequenos e estavam desenquadrdos (x10), que ela iria compreender (x50), que venha lá o Gonçalo para eu falar com ele é mãe, ó Gonçalo então o que se passa, ó mãe isso já está resolvido, tenha paciência eles são pequenos... Foram 45 minutos a aturar isto em voz altíssima no autocarro.

E se reclamarmos? Somos mal educados, pronto!!!

Anónimo disse...

Nao podia estar mais de acordo.

As vezes no comboio anoto as conversas e depois mando a quem falava os meus cumprimentos para a dona olinda ou quem fosse do outro lado... Ou pergunto se a empresa ja vai melhor da tal situação, etc

Anónimo disse...

Aconselho-vos a frequentarem uma biblioteca pública onde haja frequência de adolescentes ou reformados... Naquele onde eu vou, até a empregada brinca com o TM e os seus bips.

josé ricardo disse...

Welcome to the brave new world.

Francisco de Sousa Rodrigues disse...

Cirúrgico!
...e a malta a exibir a sua muito ativa vida social ou a fazer relatos de viagens, que pastel.

Anónimo disse...

Um inferno.
Dois infernos.
Depende do número de exibicionistas com que tenho o azar de privar em dado momento no mesmo espaço.

Ana Vasconcelos disse...

Sim, há muitos hábitos irritantes por aí fora. Ocorre-me ‘Rules for life’, por Kitty Flanagan:
https://youtu.be/_-NonVtxyAk