terça-feira, 2 de abril de 2013

Notícias de Belém

Já era tempo de chegarem notícias frescas, tão frescas como os pastéis, vindas dos lados de Belém. Mas chegaram: o Belenenses regressou à divisão principal do nosso futebol. Devo dizer que isto me agrada.

Para mim, o Belenenses foi sempre um clube muito simpático. Sem peneiras mas com estilo. O meu saudoso amigo Raul Solnado era-lhe fiel, o meu presente amigo Nuno Brederode Santos reverencia-o, discreto e sempre sem alardes. O que é que tem o Belenenses de particular, para além de uma bancada com uma bela vista para o Mar da Palha, depois de ter deixado as Salésias (há meses, descobri onde ficava exatamente esse estádio)? Tudo! Ser do Belenenses é como jogar bilhar às três tabelas: é uma "especialidade", não é preciso ser-se muito bom mas é diferente, sai-se da dicotomia da "segunda circular" e, caramba!, entra-se no Restelo. É "fino" ser-se do Belenenses. 

Durante muitos anos, o Belenenses foi o quarto "grande" na nossa bola, depois do Sporting, do Benfica e do Porto (a ordem, infelizmente, já não é a mesma). Por lá andaram, em tempos de farta glória, o Matateu, o mano Vicente e o José Pereira. Do Pepe, do Augusto Silva, do Capela e do Feliciano, já só ouvi falar. Mas tenho presente o Meirim, que já poucos recordam mas que era, em jeito de treinador, uma espécie de astrólogo da bola.  E Acácio Rosa, um dirigente cuja dedicação comovia. O Américo Tomaz (o presidente, claro) era do Belenenses, talvez por estar ali à mão. Mas a rapaziada da "cruz de Cristo" gosta de lembrar que Teixeira Gomes também era adepto.

Um forte abraço para ti, António Sequeira Nunes, meu amigo e antigo presidente do Belenenses. E, chegado a Lisboa, terei, logo na 6ª feira, um jantar com um outro "doente" do clube da "cruz de Cristo". O Belenenses é um mundo muito maior do que se imagina! E, também por isso, é muito bem vindo à "primeira divisão" (ou lá como agora lhe chamam)!  

15 comentários:

Anónimo disse...

"Sou do Belenenses. Costumo dizer: no melhor pano cai a nódoa."
Baptista-Bastos, Diário Popular 21.04.1984
http://belenensesilustrado.blogspot.pt/search?q=baptista+bastos

Anónimo disse...

"O Belenenses perdia, não digo habitualmente, mas o suficiente para só uma vez ser campeão.
Na altura, isso inferiorizava-me perante outros miúdos do Benfica ou do Sporting.

Mais tarde, descobri que foi uma felicidade ter-me tornado Belenenses: cedo aprendi a saber perder e a não mudar de ideias por causa disso.

... Talvez se eu tivesse sido um puto de outro clube mais afortunado, não tivesse agora a simpatia que tenho pelos perdedores, um certo fascínio pelas causas perdidas; não fosse hoje um homem de tantas fidelidades."

José Manuel Rodrigues da Silva (1939-2009)

http://belenensesilustrado.blogspot.pt/2010/03/gente-do-belem.html#links

Anónimo disse...

"Não tenho dúvidas de que o Belenenses está em consonância com a revolução e considera que, acima de tudo, é ao serviço de um Portugal efectivamente socialista (e não social-democrata) que pensa e organiza as suas actividades.
Não, a contra-revolução não entrará no nosso país através do Belenenses..."


Declaração do Prof. Manuel Sérgio, vice-presidente do Clube de Futebol 'Os Belenenses' ao jornal "O Século" de 22 de Agosto de 1975.

http://belenensesilustrado.blogspot.pt/2010/08/o-belenenses-e-revolucao.html#links

Anónimo disse...

" EXPULSO: do quadro associativo do Clube de Futebol Os Belenenses, um dos mais importantes de Portugal, o ex-presidente Américo de Deus Rodrigues Thomaz, de 80 anos; por não ter pago as suas mensalidades desde o golpe que o derrubou do poder, em abril de 1974; dia 3."


In página 76 da edição de 16 de Abril de 1975 da Revista Brasileira "VEJA"

http://belenensesilustrado.blogspot.pt/2009/07/ex-presidente-do-belenenses-expulso-do.html

Helena Sacadura Cabral disse...

E o meu muito querido Prof Bento Murteira quando Belenenses perdia, a econometria tornava-se um inferno. Que saudades!

diogo disse...

e quanto a mim , que não alinho em futebolíces , ser do Belenenses ou da Académica não é mais que ser do politicamente correcto . assim não se choca com os tubarões . Um abraço

Helena Sacadura Cabral disse...

Caro Diogo
Essa sua assertividade deu cabo dos meus clubes - já tão em baixo - que são em primeiro lugar o Sporting e em segundo a Académica.
Politicamente correcta mas praticamente na penúria, assim se liquidam os sonhos de uma adepta com dois amores ...
:-((

Anónimo disse...

Muitos jogadores do Belenenses vão amoçar ao "Stop" de Campo de Ourique.
Só assim se explica o regresso à divisão principal...

Anónimo disse...

A não ser a sua "especial amiga isabelinha (ah e a bela isabel, talvez)", diz-me a 'velha senhora' que ninguém terá saudades das suas rimalhices - que confessa continuar a fazer, mas sem ânimo para as terminar e mas ditar. Deprimida, diz, com a acelerada decadência da sua conta bancária e do país, a senhora rimalha agora futebóis:

parabéns ao belenenses
re-benvindos são à festa
a que as gentes vão contentes
governadas por dementes
bola é tudo o que lhes resta

belenenses académica
não são paixões exclusivas
não causam doença endémica
sistémica nem polémica
lá tod@s somos convivas (*)

com solnado ou brederode
dê belém - mas sem cavácuo -
alegrias ao pagode
prá acabar com quem nos f...
o 'meu' sporting é inócuo


*
co'a jovem grande helena quase até alinho:
leoa da académica falta-lhe o vinho
tão só pra vir pró belenenses - é benvinda
leoas boas cá riremos mais ainda

José Ceitil disse...

Em 2009 escrevi o livro “Belenenses, 90 Anos de História”, editado pela Âncora. Através da necessária pesquisa descobri um clube muito maior do que supunha e que não cabe nas categorias onde vulgarmente o colocam: “simpático” “ligado ao Estado Novo”, etc…
Se o lerem perceberão melhor o que digo.
Saudações azuis
José Ceitil

Isabel Seixas disse...

Ó cara amiga há muito mais gente a ter saudades das suas rimalhices só que...

Há um receio latente,
de admitir a beleza sincera do agreste, talvez por ser verdade pura sem ser polida qual bonina silvestre...
Há uma espécie de fuga de quem de um deus é temente, talvez por falta de leitura escondem-se atrás de um silêncio per si incapaz de reconhecer talentos, qual usura, ó inveja malvada dor de cotovelo disfarçada...

Agora fiquei contente pelo Belenenses, e já agora só para que conste o Chaves foi a única equipa na primeira divisão em Trás-os-Montes.

Anónimo disse...

Eu sei que a vida está bera...no entanto, José Ceitel, está a querer vender as sobras ou será que é os monos?

olinda silva disse...

Caro Anónimo de 4 de abril de 2013 14:35
Nem uma coisa nem outra, o livro em questão do Sr. José Ceitil está esgotado. Penso que terá feito esta referência apenas a titulo de curiosidade.

José Ceitil disse...

Caro anónimo, como a Olinda Silva disse, já nem monos sobram. Mas se estiver interessado em saber mais acerca da história e da grandeza do Belenenses, eu empresto-lhe um que tenho guardado para estes casos. Saudações azuis

Anónimo disse...

E sobre o Belenenses e algumas glórias suas, há crónicas imperdíveis de Baptista Bastos, que nasceu para as bandas do Restelo e, como tal, ferrenho deste azul de beira-rio.