segunda-feira, 8 de abril de 2013

Margaret Thatcher (1925-2013)

Chegado há pouco a Paris, capital de um país sobre o qual Margareth Thatcher tinha sentimentos muito pouco simpáticos, acabo de saber da morte daquela que, por quase 12 anos, chefiou o governo britânico. Eu vivia em Londres ao tempo do seu afastamento do poder. Por uma quase coincidência, tive o privilégio de assistir, na Câmara dos Comuns, ao seu último e histórico discurso parlamentar, como já contei aqui.

Goste-se ou não das ideias de Thatcher, ninguém pode deixar de reconhecer que ela foi uma estadista que, como poucos, marcou o seu país e o tempo internacional: na sua visão e influência sobre a relação transatlântica, no modo como formatou a singular posição britânica face à Europa, no seu sentido premonitório do papel de Mikail Gorbachev no futuro da URSS, na sua teimosia patriótica face às Falkland/Malvinas e em tantos e tantos outros dossiês. E, naturalmente, com tudo o que isso ainda significa para o mundo de hoje, com a sua promoção de uma agenda liberal radical.

Uma das expressões que ficaram ligadas à imagem de Thatcher é a palavra "tina" - "there is no alternative" -, lema que, pelos vistos, continua a ter ardentes seguidores noutras paragens. 

18 comentários:

patricio branco disse...

uma grande senhora da politica, de origens quase humildes, provinciana, foi subindo à custa da sua energia e tenacidade, coragem, espirito de combate, etc.
merece o nome dama de ferro.
um dos ultimos grandes estadistas europeus, com todo o sentido e conteudo desta palavra, uma classe que inclui adenauer, de gaulle, helmutd schmit e algunas mais.
goste-se ou não, foi uma grande figura e patriota do r u.
rip

São disse...

Não me regozojo com a sua morte mas também não a lamento.

Que DEus lhe dê muita luz e ainda maior arrependimento.

Boa semana

Anónimo disse...

"capital de um país sobre o qual Margareth Thatcher tinha sentimentos muito pouco simpáticos"

=>

"capital de um país RELATIVAMENTE Ao qual Margareth Thatcher tinha sentimentos muito pouco simpáticos"

freitas pereira disse...

Como escreve Durão Barroso no seu comunicado : As contribuições e as reservas de Margareth Thatcher marcaram a construção da UE.
Eu acrescento: Que ela repouse em paz.

Conservo, de Madame Thatcher, a recordação duma declaração diferente da do Sr. Embaixador: "I want my check"!
Muitos ingleses guardarão más recordações da Dama de Ferro. A desindustrialização da Inglaterra, entre outros.
Ela contribuiu, mais que outros, à sabotagem da Europa. Este pais tão ultra liberal que foi até perverter mesmo a idéia de "socialismo", decretando que o socialismo era agora "Blair", o caniche de Bush. Este social- liberalismo que esqueceu o "social" pelo caminho, e que serve agora de modelo a toda a Europa com o resultado que se conhece.
O governo atual, conhecido sob o nome de "coalition", mistura da clique do néo-thathcherista Cameron ( jovem diplomado era ele que escrevia os discursos de Maggie) com o "centrista" LibDem Nick Clegg.
Todos estes personagens entendem-se muito bem sobre o objetivo a atingir: Guerra ao Estado, obedeçamos aos banksters, reembolsemos a divida, e o povo que se lixe, ele não tem outra alternativa. Na ultima reunião dos 27, quem se opôs ao projeto de limitação dos bônus dos traders, isto é dos banksters? UK !
Argumento do ministro britânico: " Ah não, não devemos limitar os bônus aos montantes dos salários, porque senão, os traders vão exigir de aumentar os seus salários, e não poderá ser-lhes retirado quando as coisas irão mal Enorme, não ?
Isto deveria fazer refletir aqueles que "não fazem política", mas que poderiam ser sensíveis à martelagem mediévica que designa o liberalismo como única solução para os nossos problemas, enquanto que , ao contrário,, é o principal responsável. Alias, as agências de notação baixaram a nota do UK, interessante não?
A finança foi o setor que se desenvolveu mais durante os últimos 25 anos! E 400 mil milhões de libras foram injetados na economia através dos bancos. Mas 90% dos automóveis são fabricados pelos estrangeiros!
Nunca na historia da economia britânica se dilapidou tanto dinheiro para tão ínfimo resultado. E sem remorsos !
O Reino Unido, graças a Thatcher, transformou-se no tapete da City.

J. de Freitas

Helena Oneto disse...

Bem vindo a Paris!

Anónimo disse...

"The Iron lady" foi uma governante de sorte. Fui a Brighton ver a convenção do seu partido na segunda vez em que se candidatou a primeira ministra. A oposição estava como uma lagartixa no Inverno, enquanto em Brighton fazia sol nos calhaus da praia... Curiosamente voltei a vê-la na Madeira (ilha de beira-mar igual aos calhaus de Brighton)porque estava lá para festejar 50 anos de casada, no sítio aonde passara a sua lua-de-mel. Como é uma lua-de-mel à Thatcher, não faço ideia, mas como enfrentou os generais da Argentina lembro-me bem. Por isso, digo que teve sorte, porque foi num tempo em que só houve contestação no seu país quando queria acabar com o chocolate quente que era distribuído gratuitamente nas escolas públicas. Enfim, estadistas "mulheres" com sorte e com outras coisas que fazem falta a muitos estadistas "homens"!

Anónimo disse...

Margaret Thatcher foi um espirito forte e que á cerca de 20 anos conseguiu mudar a ideologia intalada no RU.
Hoje Portugal repete os mesmos erros que ela torneou com a sua forte personalidade, foi contra a hegemonia alemâ, nunca acreditou na futura EU.

O que é incrível é a força que as cortes, os pajens e os peralvilhos dos fatos de Miami e arredores ,possuem através das lojas a que pertencem.

É muito dificíl acabar com a gangrena do Estado em Portugal e fazer diferente !

Alexandre

freitas pereira disse...

Ao comentador das 16.53, que escreve " .. mas como enfrentou os generais da Argentina lembro-me bem."

Eu também me lembro dum certo general, assassino de Allende, no Chile, recebido três vezes e protegido por Thatcher : Chamava-se Pinochet. Que assassinou milhares de Chilenos.

Eu também me lembro como" enfrentou" os mineiros ingleses, contra quem enviou a força armada.
Eu também me lembro daquela que acabou com a distribuição de leite às crianças nas escolas.

Eu também me lembro da amizade de Thatcher com outro "estadista" , Reagan, o homem do sistema que desregulou a economia do planeta com o "Reaganomics", copia conforme do thatcherismo, o liberalismo que hoje nos assassina também.

O inventor dos "Contra" e dos golpes de estado na América do Sul.

Enfim, Thatcher ficará na historia .Deve-se-lhe a degradação das estruturas, o desastre do setor publico, o salariado precário, a baixa de qualidade da educação, a duplicação dos pobres, o aumento das disparidades sociais e regionais. Um economista descrevia a sociedade britânica com três velocidades: 30% de desfavorecidos, 30% de precários, 40% de privilegiados. Sem falar da "Poll Tax" de sinistra memória, que a decapitou.

Ela comparou-se um dia à ursa de Kipling, " mais perigosa que o macho da sua espécie"!
Ela conhecia-se melhor que ninguém.

J. de Freitas

Anónimo disse...

Olha que pena!
PS: também foi, na mesma data, desta para pior (ninguém vai para melhor depois de morto) a Sarita Montiel.

Anónimo disse...

A Senhora Margaret Thatcher não era aquele tipo de mulheres que me poderiam seduzir. Nem como mulher, nem como politica. Não é porque a Senhora morreu, que não posso continuar a dizer isto... Ademais, guardo como recordação que a mulherzinha era muito "agarrada ao dinheiro". Ouvi mesmo dizer que nas negociações para se abrir o túnel entre a França e a Inglaterra, quando as coisas "emperravam", foi o argumento irrefletido de Mauroy, ao dizer-lhe que a Inglaterra não gastava um schilling com os trabalhos, que desbloquiou a situação. "Se não nos custa dinheiro, então furem à vontade... " E o túnel foi aberto.
Mas se a Inglaterra não gastou um schilling, quem é que pagou?
Não me digam que ainda faz parte da dívida que os portugueses, os gregos e outros pobres da europa andam a pagar...
José Barros

Anónimo disse...

Pinochet era amigo, Mandela... terrorista!
Ninguém, por aqui, se lembra?
xg

Anónimo disse...

Não, nunca, a 'velha senhora' diz que não pode de todo com a Thachter, nem viva nem morta:

detesto a cabra da thatcher
amiga do pinochet
marmanja má mulher-macha
de ferro como se vê:

mandela é o terrorista
irlanda é só pra abater
odeia arte ou artista
e mata em guerra a valer

desfaz pobre e feminista
é contra a europa ama o reagan
co'a "tina" o povo só lixa

grande porra de estadista
que o leite às crianças nega
lagartas prá lagartixa

Jose Tomaz Mello Breyner disse...

Uma GRANDE Senhora e uma extraordinária politica.

RIP Lady Thatcher

Rui Franco disse...

Eu diria que a "teimosia patriótica" da defunta serviu para que as FA britânicas mostrassem para que serve um "exército". Hoje ficámos a saber que o nosso serve para andar em excursão a tratar dos assuntos alheios...

gherkin disse...


Grande senhora, em termos de aparência, porte, timbre de voz, autoritativa, atributos bem demonstrados quando a entrevistei. Em termos politicos, embora consciente de ser mulher entre os habituais e domninantes "tories" masculinos ousou sobrepôr-se-lhes. MÉRITO: Pôs cobro à então prevalecente anarquia e baronismo sindical; prestigiou o país em termos internacionais e ao recomendar Gorbatchev a Reagan muito contribuíu para o derrube do Comunismo. DEFEITOS: Criou a maior inflação esbanjando a maior riqueza do país - o petróleo e o gas; provocou o maior desnível entre ricos e pobres; criou uma sociedade sem valores e solidariedade; destruíu a secular regionalização a favor da centralização e em relação à unificação alemã, à qual renhidamente se opôs, cometeu enorme erro. Quanto à União Europeia, deu início a um dos maiores e ainda prevalecentes problemas britânicos - eurofobismo. Paz á sua alma! Grande abraço, meu caro. Gilberto Ferraz

Julia Macias-Valet disse...

Dela François Mitterrand dizia :

"Elle a la bouche de Marilyn et le regard de Caligula"

Anónimo disse...

“Privilégio” de assistir ao seu último e “histórico” discurso parlamentar. Vejam lá!
MT morreu e ainda bem, poderia ter sido uns anos antes. Mais vale tarde do que nunca.

Isabel Seixas disse...

Estou com a velha Senhora, claro.

Há uma espécie de libido, expressa num jogo, em que tem de emergir sempre um "vencedor" envolto num poder sem mistério, desde que,
mesmo em ensaios de desfaçatez do tem que ser, provoque dor, aos outros...

Há deslumbramentos que só à luz da psicanálise...

Insónias acompanham madrugadas,
são as culpas, são as almas penadas,todas de consciências pesadas, jamais conseguirão dormir,descansadas...