quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Clotilde Câmara Pestana


Ontem, o presidente da República condecorou várias personalidades que, em diferentes cargos e funções, estiveram ligadas à atuação de Portugal no quadro da política europeia. Vários amigos e pessoas que muito respeito receberam esse reconhecimento. Infelizmente, não pude estar nessa cerimónia para felicitá-los. Considero que, sem uma única exceção, se tratou de distinções muito justas.

Permito-me, contudo, destacar um nome de entre todas essas pessoas: Clotilde Câmara Pestana.

Há dias, falei aqui da primeira equipa que acompanhou a integração europeia de Portugal. Foi nesse início de 1986 que conheci a Clotilde e dela fiquei para sempre amigo. Foi minha colega na "Visconde Valmor" e na "Cova da Moura" (os locais do Portugal europeu). Mais tarde, foi minha adjunta e chefe de gabinete, quando tive funções de governo na área dos Assuntos europeus. Nessa altura, o meu gabinete - entre pessoal diplomático, técnico e administrativo - e para além dos motoristas, chegou a ser composto apenas por mulheres.

A Clotilde é uma figura humana muito rara, para além de ser uma profissional dedicada, competente, de uma extrema lealdade e com um elevado sentido de serviço público. Sempre serena, muito "boa onda" e com grande sentido de equipa, é uma admirável criadora de consensos. Mas é, principalmente, uma notável mulher de família - mãe e orgulhosa avó de quase 11 netos! - com um empenhamento constante em causas religiosas e de voluntariado, ao lado do Rui, seu marido.

Deixo aqui um abraço de felicitações à minha querida amiga e recém comendadora Clotilde Câmara Pestana.  

6 comentários:

Frederico Melo disse...

Plenamente se acordo.Recordo a CCP que, comigo, iniciou a sua carreira no GEP do Ministério da Indústria, então sito no "franjinhas". Junto o meu abraço de felicitações à Cremilde.

Anónimo disse...

Caro Francisco,
Também me congratulo e felicito a Clotilde Câmara Pestana, que conheci no início da década de 60, quando ela teve de aturar este então jovem Assistente numa cadeira de Economia do 1º. ano, no ISCEF (actual ISEG). Já nessa época se lhe reconheciam as qualidades que tão justamente salienta neste seu comentário.
Bem merece, pois, esta distinção que reconhece a sua competência e a dedicação ao serviço público, tantas vezes tão mal tratado por quem nunca teve responsabilidades ao serviço do Estado nem conheceu muitos dos seus servidores que não dão nas vistas.
Feliz Ano de 2016 para si e para a nossa amiga Clotilde Câmara Pestana.
José Honorato Ferreira

Anónimo disse...

Caro Francisco
Eu lamento, mas a primeira equipa que preparou o processo de integração europeia, designadamente o pedido de adesão, é muito anterior, de 1975. Quanto ao resto subscrevo o que dizes sobre a Clotilde.
Fernando Neves

Anónimo disse...

No meu comentário sobre Clotilde Câmara Pestana há um lapso, melindroso, tratando-se de uma Senhora: a década referida é a de 60, mas no seu final e não no início.
Penitencio-me deste erro... Faz toda a diferença, cerca de 10 anos!
José Honorato Ferreira

Francisco Seixas da Costa disse...

Caro Fernando Neves. A primeira equipa que "acompanhou" a integração (Portugal só se integrou nas Comunidades Europeias em 1.1.86) era a que estava na Cova da Moura (e também nas Necessidades, para a CPE) e na Reper nessa data. Data de muitos anos antes, com pousos departamentais muito diversos, entre os quais o MNE tem um papel decisivo, o trabalho das várias equipas que "prepararam" a integração.

Anónimo disse...

Ah, que o afirmar-se o embaixador como meritório lutador feminista esbarra num detalhe denunciador.

Embaixadoras, chefes de gabinete, assessoras, sim.

Pôr-lhes o carro nas mãos é que está quieto.

Nuno de Magalhães (também feminista e nunca por nunca sexista e paternalista)