sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

As artes & ofícios do professor Marcelo


Foi pena que Sampaio da Nóvoa, quando Marcelo Rebelo de Sousa, durante o debate de ontem, referiu, por diversas vezes, que as suas opiniões eram conhecidas do país, ao contrário do "silêncio" do seu opositor sobre os temas políticos mais especiosos da vida democrática passada, não lhe tivesse lembrado que essas posições públicas foram emitidas, por décadas, em canais públicos e privados, de rádio e televisão, principescamente remuneradas, sem o mínimo de contraditório e que funcionaram como uma espécie de pré-"tempo de antena" que preparou esta sua tentativa de sucessão do seu candidato preferido de sempre, que aliás o nomeou para o Conselho de Estado, o qual dá pelo nome, tão "popular" nos dias que correm que MRS tenta a todo o custo dele demarcar-se, de Aníbal Cavaco Silva. 

Acaso Sampaio da Nóvoa ou qualquer dos outros candidatos tiveram o privilégio desses milhares de horas de exposição para os exercícios de "tudólogo" - aquele que fala de tudo - de que MRS beneficiou? E o facto de não terem sido beneficiados com essa presença perante câmara e microfones retira-lhes qualquer legitimidade na expetativa de serem escolhidos pelos portugueses para ascenderem à Presidência da República?

25 comentários:

Anónimo disse...

E vejam como os apresentadores e os comentadores se agacham perante MRS, de tal modo que - servindo-nos de Eça de Queirós - qunto mais se agacham mais se lhes vê o cu. Que subserviência!!!!

Luís Lavoura disse...

1) Marcelo só beneficiou dessa exposição mediática porque teve talento para isso. A exposição mediática foi-lhe concedida devido ao seu talento como comunicador. Talento que creio que Sampaio da Nóvoa não tem.

2) Marcelo não pode ficar diminuído no seu direito cívico de se candidatar à presidência por ter beneficiado de exposição mediática, Não é legítimo pretender prejudicar o seu direito de se candidatar por ele ter sido demiurga na televisão.

Mal por Mal disse...

À maneira de Jerónimo "aleixo", Marcelo e Cavaco são farinha do mesmo saco.

E penso que sim.

Pelo menos Cavaco chegou lá sem avental dos pedreiros, sem batina da Opus Dei, sem tropa de choque, sem foice nem martelo e sem antisalazarismos.

Penso que Marcelo se chegar lá, também é pelo próprio pé.

Agora o Tino de Rãs, pode dar um bom substituto de Lopetegui.

Anónimo disse...

Em 9 candidatos não se arranja uma alminha que não permita a eleição de MRS?

Joaquim de Freitas disse...

Eu sou o remora, ou peixe piolho, um peixe que vive bem. Não sou muito grande nem muito gordo, nem muito bonito. Mas nado bem em todas as águas, sobretudo as quentes e não preciso de me cansar muito para comer.

Tenho uma ventosa enorme que me permite de "colar" ao meu tubarão! Debaixo do meu tubarão, não temo nada. E os peixinhos mais pequenos andam à minha volta. Então como-os. E até me filmam e pagam para os comer. O tubarão é a minha dispensa e a minha viatura.

Outros chamam-me "cata vento" . Pertencem ao mesmo grupo de parasitas.

Em França, chamam-me um "moulin à paroles"!

Majo disse...

~~~
~ Apenas débeis mentais não perceberam que MRS
esteve a fazer pré-campanha, enquanto comentador.

~ Porém, foram tantos e tantos equilibrismos risíveis
usados para surpreender os espetadores, que estou
convencida que tais estratagemas só o prejudicaram.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

aamgvieira disse...

Sampaio da Nóvoa é um personagem de uma Commedia dell'arte , séc XXI, adaptada a corporações macónico/burguesas que se consideram uma casta no poucochinho Portugal em que estamos dependentes da falta de fé no futuro.

Marcelo tem uma virtude essencial: não é ateu nem laico.

O País está farto de laicos: quais virgens sempre ofendidas....!


disse...

"Beneficiados com essa presença perante câmaras e microfones”? Por favor, um pouco de honestidade intelectual também ficava bem. Marcelo fez comentário político (principescamente remunerado) em n estações de televisão e rádio porque as audiências que gerava justificavam quer a remuneração quer o primetime. Este é o ponto, não há mais nenhum. Ninguém fez um favor a MRS ao contratá-lo como comentador, antes pelo contrário. MRS faz comentário político onde quiser porque traz consigo o seu público - as pessoas que param para o ouvir. Ponham o Sampaio da Nóvoa ou a Maria de Belém ao domingo à noite e vamos ver o que acontece. Ignorar que a programação dos canais de televisão e rádio é determinada pelas audiências e procurar fazer crer que a carreira de MRS no comentário político é parte de um plano maquiavélico para o levar à Presidência da República só pode ser uma brincadeira.

Anónimo disse...

Luís Lavoura, Marcelo Rebelo de Sousa teve exposição mediática por que as direcções de informação são medíocres e põem circo à frente do dever de informar.

Cabe-lhes informar e não fazer aquilo que foi o que na gíria jornalística tem nome de acto sexual de relevo, que foi o que fizeram durante quase 15 anos.

Nuno de Magalhães

Francisco Seixas da Costa disse...

Ninguém contesta os méritos de comentador de MRS. O que não é sério é ele dizer que se pronunciou sobre tudo e que os opositores o não fizeram. Pudera!

Anónimo disse...

Pelos comentários que entretanto, depois de Lavoura, outros fizeram bem se nota o respeito que em Portugal existe pela liberdade de informar e pela imprensa realmente livre.

Para os Zés, o que vale é a massa que pinga, não o direito/dever de informar, dar contraditório, de isenção, de ser pluralista.



Nuno de Magalhães

Anónimo disse...

MRS teve sempre uma situação de privilégio e incoerência. Quando a RTP deixou de ter comentador na area socialista (baixa de Sócrates), não houve o mínimo pudor de ficar apenas com comentadores de direita. Por outro lado, nem MRS nem Morais Sarmento tiveram a delicadeza de respeitar a democracia pondo os seus cargos de comentador (principescamente pagos) à disposição. Mantiveram-se no seu lugar, sem estados de alma, como se o país fosse coutada sua. MRS ocupou o espaço televisivo a promover-se a si mesmo, na devoradora ânsia de vir a ser PR - tal como seu padrinho, o Caetano, passou a vida devorado pela ambição de substituir Salazar. É lamentável, pelo menos, que MRS não tenha a coragem de assumer todas estas circunstâncias, preferindo fazer de sonso nesta campanha mas sempre a minimizar os outros, especialmente Sampaio da Nóvoa. Porque é que desconsidera este academico? Acaso portar-se com civismo durante anos a fio, mas sem estar filiado num partido, é coisa de somenos? Sente-se MRS superior por ser do PSD? Não se sente incomodado pelo grau de mediocridade, corrpução e baixeza que esse partido atingiu? Quando é que MRS se insurgiu contra isso? Nunca... De facto, MRS é duma completa incoerência.E de passagem se aponte o silêncio da hierarquia católica que tão lesta e acutilante foi a denunciar a situação conjugal de Francisco Sá Carneiro. Esse, ao menos, assumia os seus actos e a sua companheira foi uma empresária de sucesso, de mãos limpas, não uma executiva dum banqueiro desonesto.

aamgvieira disse...

Repassando, "O País está farto de laicos: quais virgens sempre ofendidas.."

Ana Vasconcelos disse...

Ora aí está - na mouche!

Joaquim de Freitas disse...

Do Senhor"" amgvieira: " Marcelo tem uma virtude essencial: não é ateu nem laico.
O País está farto de laicos: quais virgens sempre ofendidas....!"
Aparentemente, saudades do obscurantismo e do poder jesuíta. Viver juntos num mesmo Estado, no respeito das crenças e práticas religiosas, das opiniões e convicções diversas de cada um, não parece seduzir o Senhor amgvieira!

Apagar a obra do Marquês de Pombal, que eliminou o poder do religioso sobre o político, parece-lhe preferível ?

Num mundo minado pelas guerras de religião, onde os Estados déistas aparecem no horizonte, fonte de todos os perigos actuais e futuros?

Num Estado laico, mesmo o Opus Dei tem o direito de se exprimir. Mas que as religiões estejam separadas do Estado, é obra de saneamento do espírito.
Quanto à comédia, Senhor amgvieira, eu vi um personagem , de facto, ontem, utilizar a máscara, que caracteriza estes comediantes italianos, sob a qual se via a manha, a inocência e a habilidade . Mas não foi o mesmo que o Senhor viu.

Aliás sabe bem que o nome que utilizou no seu texto de "Commedia dell 'Arte, " significa "teatro" interpretado por "comediantes profissionais" ! PROFISSIONAIS, Senhor amgvieira! E se havia um "profissional" que passou anos a preparar-se nos palcos da televisão , remunerado, para o papel que quer desempenhar, foi bem o seu candidato.

Anónimo disse...

"Tudo isto é muito bonito, mas..." MRS, quando tem concorrido para outras "coisas", é bom lembrar, nunca ganhou nenhuma. Ficamos para ver agora...

msampayo disse...


São inegáveis os méritos de MRS como comunicador (não é isso que está em causa, nem, muito menos, o direito de se candidatar, não queirra o Luis Lavoura confundir) e que o tem mantido na "crista da onda", coisa que ele sempre fez, reconheça-se, com mestria - é essa, aliás, a sua especialidadade, não fosse ele um praticante de... "bodyboard"!

A questão é que MRS confunde "tomada de posição" - atitude que se presume por natureza: clara, firme e consequente - com comentários redondos a propósito de tudo e de todos com os quais pretende agradar a quase todos. Tomadas de posição, claras, firmes e consequentes não lhe conheço nenhuma. E, como bem refere o nosso Embaixador, fê-lo sempre sem contraditório.

A primeira vez (ontem) que teve um contraditor à altura, foi-se, claramente, abaixo das canetas...

Alain Demoustier disse...

Portugal, País de moinhos: quem sabe aproveitar o vento fica na onda
a Historia é quem mais ordena !

aamgvieira disse...

Quer queiram ou não, existem "diferenças".....



ORA VEJAM LÁ SE É INCORRECTO.

Quando um tipo de direita não gosta de armas, não as compra.

Quando um tipo de esquerda não gosta de armas, quer proibi-las.

Quando um tipo de direita é vegetariano, não come carne.

Quando um tipo de esquerda é vegetariano, quer fazer campanha contra os produtos à base de proteínas animais.

Quando um tipo de direita é homossexual, vive tranquilamente a sua vida como tal.
Quando um tipo de esquerda é homossexual, faz um chinfrim para que todos o respeitem.
Quando um tipo de direita é ateu, não vai à igreja, nem à sinagoga, nem à mesquita.
Quando um tipo de esquerda é ateu, quer que nenhuma alusão a Deus ou a uma religião seja feita na esfera pública, excepto para o Islão.

Quando a economia vai mal, o tipo de direita diz-se que é necessário arregaçar as mangas e trabalhar mais.

Quando a economia vai mal, o tipo de esquerda diz que os sacanas dos patrões são os responsáveis e param o país.

Conclusão final:

Quando um tipo de direita ler este teste, guarda e divulga
Quando um tipo de esquerda ler este teste, olha para o lado, e apaga-o.

Joaquim de Freitas disse...

A propósito da conclusão final:


Quando alguém pensa filosofar, e responde a uma questão, acabamos por não saber qual foi a pergunta.

aamgvieira disse...

Não é filosofar é a realidade nua e crua !

Anónimo disse...

O candidato do Sr. Vieira nunca ganhou nada, onde se meteu. O Sr. MRS é um grande tangas, embora ao que parece, ainda tenha alguma audiência, seguramente, muito menos do que já teve. As pessoas também se vão fartando das suas tangas. Quer agradar a todos. Agora até parece de esquerda. Para o seu eleitorado, já não fala; pois pensa que esse, está no papo. Depois faz, uns apartes, ridículos e demagógicos, como o da marmita, da ida ao hospital de São José, (após a triste morte, por falta de assistência médica), das afirmações de que reza o terço e vai à missa todos os dias. Mas alguém acredita nisso? Bem pode tomar um banhinho no Trancão que já ninguém lhe liga. Eu cá, só sei que não votarei no Sr. MRS! Possivelmente, votarei no Sr. Sampaio!! António Manuel.

APS disse...

Apesar de já me ter habituado a que grande parte do comentariado, deste simpático e consistente Blogue, se transforme num fórum e arena de porrada verbal (desculpe-me, Sr. Embaixador, o plebeísmo vulgar)- o que não deixa de ser folclórico e divertido - há umas vieiras (galegas?)que não me caem bem, talvez pela crueza gentílica rústica e, algumas vezes, pelas muletas excessivas da citação.
A filosofia portuguesa (Sérgio? Pascoaes? Sanches? Matias Aires?...) se formos rigorosos, nunca existiu. A benevolência caridosa não é boa conselheira, nem racional. Embora o povo, na sua sabedoria ancestral, afirme e bem: "Em terra de cegos, quem tem um olho é rei."

Anónimo disse...

Sr. APS. Nem sequer é preciso ter um olho. Basta dizer que o tem!

aamgvieira disse...

Pelos vistos o sr. Sampaio....da Nóvoa, "é capaz" !

No meu tempo era logo incorporado no serviço militar obrigatório (inluindo pés chatos)!