segunda-feira, 22 de julho de 2013

Que há-de ser de mim?

Afeganistão, 2013

15 comentários:

Helena Oneto disse...

Se não se revoltam -em bloco- as meninas afegãs terão o mesmo malfadado destino que as que as precederam tiveram e ainda teem.
O mesmo se pode dizer de um povo inteiro...
Indignons-nous, pour elles et pour nous!
Bien à vous, mon cher Ambassadeur!

Anónimo disse...


“CHURCHILL ON ISLAM

The attached short speech from Winston Churchill, was delivered by him in
1899 when he was a young soldier and journalist. It probably sets out the
current views of many, but expresses in the wonderful Churchillian turn of
phrase and use of the English language, of which he was a past master


HERE IS THE SPEECH:

"How dreadful are the curses which Mohammedanism lays on its votaries!
Besides the fanatical frenzy, which is as dangerous in a man as hydrophobia
in a dog, there is this fearful fatalistic apathy. The effects are apparent
in many countries, improvident habits, slovenly systems of agriculture,
sluggish methods of commerce, and insecurity of property exist wherever the
followers of the Prophet rule or live.

A degraded sensualism deprives this life of its grace and refinement, the
next of its dignity and sanctity. The fact that in Mohammedan law every
woman must belong to some man as his absolute property, either as a child, a
wife, or a concubine, must delay the final extinction of slavery until the
faith of Islam has ceased to be a great power among men.

Individual Muslims may show splendid qualities, but the influence of the
religion paralyses the social development of those who follow it. No
stronger retrograde force exists in the world. Far from being moribund,
Mohammedanism is a militant and proselytizing faith. It has already spread
throughout Central Africa, raising fearless warriors at every step; and were
it not that Christianity is sheltered in the strong arms of science, the
science against which it had vainly struggled, the civilization of modern
Europe might fall, as fell the civilization of ancient Rome ..."

Sir Winston Churchill; (Source: The River War, first edition, Vol II, pages
248-250 London).

Churchill saw it coming......”
P.Rufino



diogo disse...

eu sei que vou ser politicamente incorrecto mas eu teria a mesma interrogação se a menina fosse cigana .

Anónimo disse...

Ridícula, esta mania das finalizações em franciú.

Dalma disse...

Na última semana, de férias na Bélgica onde há anos não ia fiquei admirada pelo numero de muçulmanas jovens que vi e mais ainda pela prole que traziam consigo. Invariavelmente quando no carrinho ou puxando pela mão uma menina, invariavelmente, repito, sentia dó da criança!

Anónimo disse...

Não vai ter cancro da pele, certamente...

Isabel Seixas disse...

Subscrevo na integra a Helena Oneto

EGR disse...

Senhor Embaixador: imagem e interrogação impressionantes.
Pergunto-me, muitas vezes, como é que, em pleno Sec.XXI, tudo isto é possível.

Anónimo disse...

Pois!!! :((

Isabel BP

Catinga disse...

Toda a razão, Diogo.

Joaquim De Freitas disse...

O que vemos nesta foto é o resultado dum integrismo mórbido. O discurso de Churchill é perfeito, mas se formos analisar o que fez o seu Império durante séculos nesse mundo que ele dominou , que se estendia do Egypto ao Afeganistão, veremos que a responsabilidade do Império é imensa.

O integrismo árabe não é uma excepção árabe. Mas o resultado de muitos factores, nos quais o ocidente teve a sua responsabilidade.

Procuremos outra parte do mundo onde houve tantos conflitos armados : 6 guerras convencionais, dezenas de conflitos regionais, 5 guerras civis, que criaram os Estados mais armados do mundo ,com medidas de excepção constantes e permanência de inimigos exteriores.

Crise de identidade à saída da colonização , ingerência constante do ocidente, provocando a rejeição dos valores ocidentais. O reflexo identitario é simples: oponho-me a estes valores, logo existo! Esta posição é , hoje, sagrada!

Quem bloqueou os movimentos reformistas no fim dos dois últimos séculos senão o ocidente? E os comunistas na Ásia? Embora os valores de modernidade tenham sido rejeitados porque também eram valores ocidentais.

Governos locais descreditados porque quase sempre marionetes do ocidente ou dos antigos colonizadores. Moubarak, no Egito, era um amigo do Ocidente, os EUA enviavam o cheque anual de 2 mil milhões, porque punha os Irmãos Muçulmanos na prisão. Obama via-os sob outro prisma. E apoiava-os!

Quem financiou os partidos, grupos de pressão e movimentos insurrecionais na Síria, no Líbano e no Afeganistão, senão a Arábia Saudita, amigo protegido do ocidente, aproveitando o declínio do Egito, depois do choque do petróleo de 1973 , a guerra do Kippour e a crise econômica que devastou este pais? E com o objectivo de proteger o sunismo contra o chiismo.

Quem financiou e financia o proselitismo religioso senão os bancos islâmicos ? Dominados por quem?

A revolução iraniana que trouxe de Paris o Ayatollah Khomeyni, e com ele o integrismo chiita, influenciou o mundo islâmico, sobretudo no Afeganistão e no Líbano, ligado à Síria, por aliança.

Quem pode negar que a dependência da Arábia Saudita da política americana fez passar estes integristas sob a bandeira iraniana.?
Quem pode negar que com tudo isto os níveis de subdesenvolvimento econômico e político e a miséria social accentua as frustrações e constitui um terreno favorável ao desenvolvimento do integrismo.

Mesmo em França sentimos hoje este problema com o desemprego que assola este mundo muçulmano mais que outro. Isto é de actualidade.

Quem é capaz de avaliar os estragos causados no mundo muçulmano pela invasão do Iraque pelos EUA. Não devemos esquecer que antes do 11 de Setembro os Americanos apoiavam os movimentos e políticas integristas, considerados como um parceiro potencial mais solido que os nacionalistas árabes.

Sejamos honestos, além do petróleo, os EUA não tinham nenhum outro objetivo determinante. Claro que foi um erro estratégico terrível, porque foram os Americanos que apoiaram os movimentos fundamentalistas através do Paquistão durante a guerra do Afeganistão, pais que passou a ser o primeiro fornecedor de revolucionários integristas, os Taliban, por ex. formados nas tecnologias das lutas armadas; pagàmo-lo hoje. Mas os Taliban eram "bons" integristas porque combatiam os Soviéticos!
Esta guerra do Iraque foi ressentida como o afrontamento Oriente/Ocidente.

Há uma imagem que me aterra : aquela de Karzaï , amigo do Ocidente, aliado dos EUA, como ontem eram os Taliban, corrompido até à moela, representante da classe rica , suposto implantar a democracia e o pluralismo no Afeganistão! E que quando o ultimo soldado americano for embora, fará como o ultimo vietnamita na queda de Saigon pendurado na pata do ultimo helicóptero americano. A foto deve fazer pensar em Karzaï.

Sr. Embaixador: Peço desculpa pelo espaço.

Anónimo disse...

A profecia de Churchill não se concretizou porque, não conhecendo a religião islâmica, parece-me que só estamos a falar de fanatismos e outras doenças da humanidade, como notou Diogo. O Islão fanático é forte mas há outros males, também, bem perigosos a prevenir, como alguns são referidos por Joaquim de Freitas.
Mas como disse Malala Yousafzai: Uma criança, um professor, uma caneta e um livro podem mudar o mundo. Educação é a única solução!

Anónimo disse...

Concordo em absoluto, com o Sr.Joaquim de Freitas.




Alexandre

Anónimo disse...

E, como se assiste impávido e sereno quando estes hábitos se impõem, nos países que não têm (já!) petróleo ou outros recursos imediatamente rentáveis?!

Anónimo disse...

caro embaixador

e as mulheres da siria?
vao usar a burqa ou vao ser laicas?


bem haja